São Paulo explica déficit de R$ 156 mi; vindas de Dani e Pato 'pesam' menos que o esperado

Goal.com

Muito se alardeou sobre os R$ 156 milhões de déficit que o São Paulo apresentou em seu balanço financeiro de 2019. Um desempenho aquém do esperado dentro de campo, além do clube não ter realizado grandes vendas, acenderam o alerta vermelho na torcida do Tricolor.

Nesta quinta-feira (30), no entanto, o clube do Morumbi divulgou as explicações para o déficit. Se a razão apresentada não acalmou a torcida, serviu para trazer provas de que a situação financeira do São Paulo não é tão desesperadora quanto aparenta ser. E não foram as chegadas de Daniel Alves e Alexandre Pato que causaram os maiores rombos no orçamento.

Dos R$ 156 milhões de déficit, mais da metade deste valor, que fez parte do balanço de 2019, na verdade corresponde a dívidas antigas, não pagas por outras diretorias. Como o clube conseguiu chegar a acordos para começar a quitar esses valores, eles foram inclusos no orçamento desta última temporada.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Três dessas grandes dívidas totalizam R$ 88 milhões. São elas:

Ricardinho - São Paulo
Ricardinho - São Paulo

Sem essas três dívidas, que só serão abatidas nos próximos anos, os R$ 156 milhões se transformam num déficit de R$ 67,2 milhões. Número alto e assustador, mas explicado pelo clube ter escolhido segurar Antony, até o final do ano, ao invés de o ter vendido no meio da temporada.

No meio de 2019, o São Paulo teve uma proposta de R$ 85 milhões para abrir mão do garoto, mas escolheu o manter no elenco. Junto com a ausência de receitas previstas no orçamento da equipe, como jogos da Libertadores e uma premiação melhor na Copa do Brasil, explica o rombo nas finanças do Tricolor neste última temporada.

O que é preocupante é que o balanço divulgado expõe uma triste verdade: hoje, o clube do Morumbi depende de vender seus jovens jogadores para conseguir terminar o ano no azul. Mesmo tendo recebido quase R$ 100 milhões em vendas em 2019, era preciso abrir mão de Antony não ter prejuízo no ano. Isso após vender Morato e Tuta, duas promessas de Cotia, para a Europa.

Para 2020, além de não ter o ônus das dívidas antigas fazendo parte do balanço, o clube já vendeu Antony para o Ajax, mas admite que não conseguirá terminar o ano sem realizar outra grande venda. Com uma folha salarial recheada de jogadores caros como Daniel Alves e Alexandre Pato, tudo leva a crer que o São Paulo terá que revelar outras promessas nos próximos anos para não ficar no vermelho.

Leia também