São Paulo e Crespo não entram em acordo sobre rescisão, e clube tenta evitar que caso chegue na Fifa

·1 min de leitura


O São Paulo já pagou a primeira parcela da multa de rescisão contratual do técnico Hernán Crespo, mas admite que ainda há uma discordância em relação ao valor devido por conta da variação de câmbio. O clube, no entanto, tem esperanças de que tudo seja resolvido sem precisar de um embate litigioso na Fifa.

O Tricolor ainda tenta conversar com os representantes do treinador para acertar os termos, mas as últimas reuniões não transcorreram da maneira esperada por ausência de integrantes do estafe do técnico, segundo o clube.

A discussão sobre os valores do treinador ocorre desde outubro, quando Crespo deixou o comando da equipe. Devido à "boa vontade" do treinador, foi alcançada a redução do valor da multa rescisória, o que ameniza o prejuízo do clube que tem vivido grave crise financeira.

O pagamento parcelado se estende aos profissionais da comissão técnica de Crespo. A multa já estava prevista em contrato: 750 mil dólares em 2021 (R$ 4,3 milhões na cotação atual), ou 500 mil dólares (R$ 2,8 milhões) se o rompimento acontecesse no ano que vem.

Segundo o acordo prévio, o São Paulo precisaria pagar R$ 4,3 milhões para Hernán Crespo por conta da demissão. Como se trata de uma cifra alta para o clube atualmente, houve essa extensão nas tratativas para tentar diminuir o valor. O clube afirma estar aberto para o diálogo e disposto a encerrar tal questão de forma amigável.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos