São Paulo e Corinthians fazem clássico em papéis trocados

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
São Paulo e Corinthians fazem clássico em papéis trocados
***ARQUIVO***SAO PAULO, SP, 13.08.2020: ESPORTE - FUTEBOL - Rogério Ceni durante o jogo contra São Paulo, válido pela 2 rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio do Morumbi. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Há três meses, parecia fácil prever quem teria vida mais curta em seu clube.

Hernán Crespo havia sido campeão paulista pelo São Paulo dois meses antes. Encerrara jejum da equipe de nove anos sem títulos e estava vivo na Libertadores.

Sylvinho enfrentava protestos da torcida do Corinthians e o time parecia destinado a brigar contra o rebaixamento.

Os dois times se encontram nesta segunda-feira (18) no Morumbi. Tudo mudou. O clássico, marcado para às 20h, terá transmissão do Premiere.

Crespo é história. Segundo a diretoria, ele deixou a agremiação na semana passada em "comum acordo". Foi substituído por Rogério Ceni com o São Paulo a apenas três pontos da zona de degola (no início da rodada).

Com reforços de Renato Augusto, Willian, Giuliano e Roger Guedes, Sylvinho recuperou o Corinthians, que tem chances reais de classificação para a Libertadores de 2022.

"Sylvinho chegou com um time que, para todo mundo, seria rebaixado e colocou esse time em 6º lugar, sem os reforços. O time que ia cair hoje está em 6º, pode estar em 4º, pode ficar em 2º. Título, infelizmente, é praticamente impossível, mas a gente pode ficar lá em cima", disse o presidente Duilio Monteiro Alves, em entrevista à ESPN Brasil.

O cartola garantiu a permanência do treinador para 2022.

O São Paulo foi a primeira experiência da carreira de Ceni como técnico. Depois de 25 anos como goleiro do clube, ele iniciou a nova função no final de 2016. Saiu em julho de 2017 e reclamou de promessas não cumpridas pela diretoria e da venda de jogadores.

Ele volta pouco mais de quatro anos depois para uma equipe que, se não está mais em jejum de títulos, não consegue embalar no Brasileiro e viu suas esperanças na Libertadores terminarem nas mãos do Palmeiras, nas quartas de final.

O São Paulo vem de seis empates consecutivos no torneio nacional. Uma sequência inédita em sua história.

A última vitória foi em 19 de setembro, contra o Atlético-GO. Depois disso, foram igualdades contra América-MG, Atlético-MG, Chapecoense, Santos, Cuiabá e Ceará. Este último confronto marcou a reestreia de Ceni.

Neste período, o Corinthians venceu três vezes (Palmeiras, Bahia e Fluminense), foi derrotado pelo Sport e teve dois empates.

A partir desta segunda, nas próximas sete rodadas, em seis o São Paulo terá rivais que começaram a rodada entre os sete primeiros.

"São jogos em que podemos encostar no topo. Tenho que demonstrar capacidade, aproveitar as peças que temos e a direção deve analisar quais são as possibilidades reais para esse campeonato e os futuros", define Ceni.

SÃO PAULO

Tiago Volpi; Orejuela, Arboleda, Léo e Reinaldo; Liziero, Igor Gomes, Gabriel Sara e Benítez; Luciano e Calleri. T.: Rogério Ceni

CORINTHIANS

Cássio; Du Queiroz, João Victor, Gil e Fábio Santos; Cantillo, Renato Augusto e Giuliano; Gabriel Pereira, Gustavo Mosquito e Róger Guedes. T.: Sylvinho

Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)

Horário: 20h (de Brasília) desta segunda (18)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden

VAR: Daniel Nobre Bins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos