São Paulo e Corinthians empatam, e Timão não poderá ser 1º geral

No primeiro clássico de Rogério Ceni como treinador do São Paulo no Morumbi, o Tricolor empatou com o Corinthians por 1 a 1, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. Em um resultado ruim para ambos, os mandantes só garantiram sua classificação às quartas de final do Estadual graças ao Botafogo-SP, enquanto o Timão não tem mais chances de ser a melhor campanha do torneio. A nota triste ficou por conta da morte de um são-paulino antes do jogo.

Os dois tentos saíram na etapa final graças a erros defensivos dos dois times. De cabeça, Maicon abriu o placar em uma falha de Cássio para deixar a meta. 14 minutos depois, Jô empatou graças à desatenção de Rodrigo Caio, que deixou o corintiano livre para testar para as redes após cruzamento de Guilherme Arana.

A partida ainda representou o 13º jogo seguido em que a defesa do Tricolor não consegue sair de campo sem ser vazada. A última vez em que o São Paulo terminou uma partida sem sofrer gols foi no dia nove de fevereiro, em triunfo por 1 a 0 sobre o Moto Clube-MA, pela Copa do Brasil. Esta foi, inclusive, a única vez em que isto ocorreu em jogos oficiais na temporada.

Com o resultado na penúltima rodada do Campeonato Paulista, o São Paulo chegou aos 18 pontos no Estadual e não pode mais ser alcançado pelo Red Bull Brasil, que soma 12 e foi derrotado neste domingo belo Botafogo-SP. O Linense, com 17, é quem briga pela primeira posição do Grupo com o Tricolor.

Do outro lado, o Corinthians foi a 21 pontos ganhos e não pode mais se classificar como melhor campanha do Paulistão. O posto, assim, fica com o rival Palmeiras, que tem cinco pontos a mais restando apenas três em disputa.

Leia mais:

Artilheiro nos clássicos, Jô se surpreende com próprio desempenho

Zagueiro Maicon cutuca Kazim e comete gafe ao reclamar do árbitro

Carille vê empate justo e comemora invencibilidade nos clássicos

Na próxima e última rodada da fase de grupos, o São Paulo visita o São Bernardo, no Estádio Primeiro de Maio, enquanto o Corinthians recebe o Linense em Itaquera. Todos os jogos nesta rodada final ocorrem quarta-feira, às 21h45 (de Brasília).

O JOGO

Apesar da empolgação nas arquibancadas do Morumbi, que contou com mais de 51 mil pessoas, o clima não se transferia para o gramado e o clássico começou morno no Morumbi. O São Paulo tomava a iniciativa das ações da partida, mas não conseguia levar perigo. Só se defendendo, o Corinthians buscava o contra-ataque, mas falhava ao sair jogando com velocidade.

Jogador mais incisivo do Tricolor na primeira etapa, Luiz Araújo era quem levava mais perigo pelos mandantes, e arriscou a primeira finalização da partida, apenas aos 18 minutos. A bola, porém, não teve direção e foi parar na arquibancada.

Apesar de o São Paulo somar 64% de posse de bola, contra 36% do Corinthians na metade do primeiro tempo, o jogo seguia sem fortes emoções. O primeiro lance de maior perigo aconteceu apenas aos 30 minutos, e foi do Timão. Jadson ajeitou para Rodriguinho, que chutou rasteiro de fora da área para boa defesa de Renan Ribeiro.

Cinco minutos depois, o São Paulo respondeu bem e quase abriu o placar. Araruna cobrou falta na área à meia altura, Luiz Araújo nem precisou subir para cabecear e desviou, mas a bola passou tirando tinta o gol de Cássio.

Clássico ganha emoção no segundo tempo e times balançam as redes

Logo no primeiro minuto do segundo tempo, já foi possível observar que a etapa final teria bem mais emoção. De início, Maycon ajeitou para Arana dentro da área, que chutou travado, mas mandou a bola muito perto do gol.

O São Paulo respondeu logo em seguida, mas Luiz Araújo perdeu chance clara de gol. Araruna roubou a bola pela direita e puxou contra-ataque com Wellington Nem. O meia-atacante deu ótima enfiada para Luiz Araújo, que saiu na cara de Cássio, mas bateu em cima do goleiro.

Com quatro jogados, o Tricolor finalmente acertou a finalização e mandou a bola para as redes. Araruna cobrou escanteio, Cícero chegou no segundo pau e mandou de cabeça para o meio, onde Maicon só escorou para o gol. No lance, Cássio ameaçou sair da meta no primeiro cabeceio e não conseguiu reagir a tempo para evitar o tento na segunda conclusão.

O Corinthians seguia sem criar grandes oportunidades, mas conseguiu o empate aos 18 minutos. Guilherme Arana cruzou da esquerda e encontrou Jô livre na pequena área, entre Rodrigo Caio e Júnior Tavares. Sozinho, o centroavante testou firme para as redes.

O Timão voltou a balançar as redes aos 29 minutos, mas a arbitragem já havia parado a jogada. Léo Jabá cruzou da direita, Jô se escorou em Araruna, ajeitou para trás e Rodriguinho marcou, mas o árbitro anotou falta do centroavante do Timão.

O clássico pegou fogo e o São Paulo teve outra boa chance aos 32 minutos. Wellington Nem bateu escanteio e Cícero subiu bem de cabeça para mandar na direção do gol. Antes, porém, Pablo fez o corte e impediu o lance.

Já aos 43, o Timão teve uma última oportunidade, mais uma vez com Jô. O centroavante recebeu na esquerda, invadiu a área acompanhado por Maicon e bateu firme, obrigando boa defesa de Renan Ribeiro. Ainda houve tempo para, aos 48, Wellington Nem receber o segundo cartão amarelo e ser expulso por deixar o braço no rosto de Camacho.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 1 CORINTHIANS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Data: 25 de março de 2017, domingo

Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Vinicius Furlan

Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Eduardo Vequi Marciano

Cartões amarelos: SÃO PAULO: Cícero, Maicon, Araruna e Wellington Nem (2). CORINTHIANS Gabriel, Rodriguinho, Pablo, Jô e Maycon.

Cartão vermelho: SÃO PAULO: Wellington Nem.

Público: 51.869 total.

Renda total: R$ 1.356.420,00. Renda líquida: R$ 973.031,14.

GOLS:

SÃO PAULO: Maicon, aos 4 minutos do 2T.

CORINTHIANS: Jô, aos 18 minutos do 2T.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Araruna, Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes e Cícero; Wellington Nem, Luiz Araújo (Neilton) e Gilberto (Chavez).

Técnico: Rogério Ceni

CORINTHIANS: Cássio; Léo Príncipe, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana (Moisés); Gabriel, Jadson, Rodriguinho (Camacho), Maycon e Pedrinho (Léo Jabá); Jô.

Técnico: Fábio Carille