São Paulo bate recorde histórico de gols sofridos em Estaduais

Não tem faltado bordões futebolísticos que se identifiquem com o São Paulo de 2017. Críticos, torcedores e até mesmo membros do grupo tricolor já se apropriaram de velhas máximas, como “a melhor defesa é o ataque”, “o que importante são os três pontos” e “ataque ganha jogo, defesa ganha campeonato”, para ilustrar o momento da equipe de Rogério Ceni. O fato é que o time são-paulino tem, sim, proporcionado partidas vistosas com uma mentalidade ofensiva. Mas, até agora, o resultado final da implantação desse novo conceito só não é melhor em função da dificuldade da equipe em se defender, e isso não significa que o problema é exclusivo de zagueiros e laterais, já que o São Paulo se movimenta para frente e para trás em bloco, com a participação de praticamente todos os atletas.

E o tamanho desse desequilíbrio fica evidente se considerarmos as primeiras seis rodadas do Campeonato Paulista. Foram 17 gols marcados por são-paulinos nesse período da atual edição do Estadual. Na história do clube, que fora fundado em 1930, o time repetiu o feito outras três vezes (1931, 1941 e 1996). E em mais 15 oportunidades o ataque tricolor foi ainda mais avassalador (1930, 1933, 1934, 1938, 1942, 1944, 1945, 1946, 1947, 1949, 1950, 1956, 1959, 1999, 2005), com destaque para o ano de 1942, quando o time registrou 29 gols nos primeiros seis duelos do Campeonato Paulista daquele ano.

Em compensação, a defesa vive uma fase inédita. Isso porque nunca o São Paulo sofreu tantos gols dentro desse parâmetro. Nem mesmo nas primeiras décadas da instituição, quando os jogos de futebol eram disputados de uma forma totalmente distinta do que se acompanha hoje em dia e os placares eram frequentemente altos. Levar 13 gols nas seis primeiras rodadas do Paulista é um marco negativo importante na história do clube.

Mesmo assim, o São Paulo é líder de seu grupo atualmente, perdeu apenas na estreia e já soma sete jogos de invencibilidade contando os confrontos pela Copa do Brasil. Isso dá tranquilidade para a continuidade do trabalho de Rogério Ceni sem qualquer pressão excessiva. No entanto, a preocupação não deixa de existir, principalmente porque todos sabem que a temporada vai começar a afunilar e o preço por ter um setor tão ineficaz pode ser muito caro. O próprio zagueiro e capitão Maicon revelou na última semana, em entrevista à Gazeta Esportiva, que entende como necessária uma mudança de postura em determinado momento do campeonato.

“A partir do momento que for mata-mata, a nossa cabeça tem que mudar um pouco. Por exemplo, se você analisar, a nossa defesa ficou dois ou três gols atrás da melhor defesa do Campeonato Brasileiro do ano passado. E terminamos lá embaixo, em 10º lugar. Então não é por aí. A partir do momento que for mata-mata, a nossa mentalidade vai ser outra. O nosso estilo de jogo pode ser diferente para não levar tantos gols”, opinou um dos nomes de maior peso do elenco.

Outro que manifestou sua preocupação foi o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva. Fã declarado do trabalho de Rogério Ceni e otimista para o que 2017 pode representar para o São Paulo, Leco espera que seu técnico não demore para fazer os ajustes necessários.

“Isso era bom no time do Santos, que fazia sete e tomava três ou quatro. Nós não estamos preparados para isso. Nós precisamos é parar de tomar gol. Ainda bem que agora nós estamos fazendo. O Rogério ainda falou para mim: ‘Agora nós estamos passando por emoções, não é, presidente? Tivemos 19 conclusões’. Ai eu respondi: ‘Mas tomamos dois gols”, citou o mandatário, citando uma conversa logo após o duelo contra o São Bento, no Morumbi.

Confira as campanhas do São Paulo até a sexta rodada do campeonato Estadual nas edições que o time marcou 17 ou mais gols no período:

2005 – campeão

18 gols marcados

11 gols sofridos

1999 – semifinal

18 gols marcados

5 gols sofridos

1996 – vice-campeão

17 gols marcados

4 gols sofridos

1959 – 4º colocado

19 gols marcados

2 gols sofridos

1956 – 3º colocado

21 gols marcados

9 gols sofridos

1950 – vice-campeão

19 gols marcados

7 gols sofridos

1949 – campeão

19 gols marcados

4 gols sofridos

1947 – 4º colocado

18 gols marcados

11 gols sofridos

1946 – campeão

25 gols marcados

10 gols sofridos

1945 – campeão

18 gols marcados

7 gols sofridos

1944 – vice-campeão

23 gols marcados

10 gols sofridos

1942 – 3º colocado

29 gols marcados

7 gols sofridos

1941 – vice-campeão

17 gols marcados

tomou 8 gols

1938 – vice-campeão

21 gols marcados

5 gols sofridos

1934 – vice-campeão

19 gols marcados

8 gols sofridos

1933 – 4º colocado

20 gols marcados

3 gols sofridos

1931 – campeão

17 gols marcados

11 gols sofridos

1930 – 3º colocado

18 gols marcados

6 gols sofridos