São Paulo bate Fortaleza nos pênaltis e vai às quartas da Copa do Brasil

·4 minuto de leitura
SÃO PAULO, SP, 25.10.2020 – SÃO PAULO-FORTALEZA: Partida entre São Paulo e Fortaleza, válida pelas oitavas de finais da Copa do Brasil 2020, realizada no estádio do Morumbi, na capital paulista, na noite deste domingo (25). (Foto: Mauro Horita/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 25.10.2020 – SÃO PAULO-FORTALEZA: Partida entre São Paulo e Fortaleza, válida pelas oitavas de finais da Copa do Brasil 2020, realizada no estádio do Morumbi, na capital paulista, na noite deste domingo (25). (Foto: Mauro Horita/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Foi com drama, na disputa de pênaltis após abrir 2 a 0 e levar o empate no fim do jogo, mas o São Paulo passou às quartas de final da Copa do Brasil na noite deste domingo (25).

A equipe superou o Fortaleza por 10 a 9 nas penalidades (ninguém havia perdido até a última série, quando Tiago Volpi defendeu e o zagueiro Léo garantiu a classificação) e saiu vitorioso de um dramático confronto nas oitavas de final. O adversário das quartas será definido por sorteio.

No tempo normal, havia brilhado a estrela de Brenner, 20. Após marcar duas vezes no empate por 3 a 3 do confronto de ida contra o Fortaleza, no Castelão, o jovem repetiu a dose no duelo de volta.

Antes tido como amuleto quando vinha do banco de reservas, Brenner soma sete gols em seis partidas desde que assumiu a posição de titular, pouco depois da eliminação da Libertadores.

Já são 11 gols neste ano, o que o coloca como artilheiro da equipe em 2020, superando Pablo (nove), que vinha sendo o titular da equipe até então.

A situação da equipe da casa parecia tranquila com os dois gols de Brenner, mas uma reviravolta quase pôs tudo a perder.

Tiago Volpi havia feito pelo menos duas grandes defesas para segurar a pressão após a equipe da casa ter recuado, mas não impediu que David diminuísse, aos 35 minutos, após falha de Diego na saída de bola, e que Roger Carvalho empatasse de cabeça, aos 46.

Nos pênaltis, o goleiro voltou a brilhar, defendendo a décima cobrança.

Os pênaltis impediram que os são-paulinos sofressem uma nova decepção, que seria especialmente dolorosa diante do time treinado pelo ídolo Rogério Ceni.

Ceni segue sem conseguir vencer o time pelo qual fez história como goleiro. Foram cinco duelos até hoje, sempre com o Fortaleza, que lhe renderam três derrotas e dois empates.

O ex-goleiro, inclusive, é cotado como possível substituto de Fernando Diniz em 2020. O ídolo são-paulino é rachado com o atual presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, desde que este o demitiu do comando técnico em 2017.

A "era Leco", no entanto, acabará em 2020, quando chegará ao fim de seu segundo mandato. Tanto o candidato da situação, Julio Cazares, quanto o de oposição, Roberto Natel, gostam do trabalho de Ceni, e nenhum descarta uma troca no comando do time.

Por enquanto com Diniz, o São Paulo volta às quartas de final da Copa do Brasil, fase que não supera desde que Rogério Ceni defendia as metas do clube, em 2015.

Naquela temporada, a equipe tricolor superou o Vasco nas quartas de final e caiu na semifinal contra o Santos, em um duelo que marcou o encerramento melancólico da carreira de Ceni como jogador.

Após perder por 3 a 1 na ida, com Dênis no gol, Rogério voltou para a partida de vida ou morte, na Vila Belmiro. Foi substituido no intervalo, lesionado e após sofrer três gols, na sua última partida oficial pelo clube.

Desde então, o São Paulo caiu nas oitavas para o Juventude em 2016, em 2017 e 2018 nem sequer chegou a essa fase (perdeu, respectivamente, para Cruzeiro e Athletico-PR), e na última edição voltou a ser eliminado nas oitavas, contra o Bahia.

O triunfo deste domingo dá pequeno alívio ao clube que, neste ano, caiu de forma precoce na Libertadores e no Paulista.

Após avançar no mata-mata nacional, terá logo outro confronto eliminatório, desta vez pela Copa Sul-Americana. Será a última chance de um título internacional na temporada, justamente na última taça que o clube levantou, em 2012, então com uma equipe liderada por Ceni e impulsionada por Lucas, hoje no Tottenham (ING).

Na próxima quarta-feira (28), às 19h15, o São Paulo vai à Argentina no primeiro de dois duelos contra o Lanús. O jogo de volta acontece no próximo dia 4, no mesmo horário e no Morumbi.

SÃO PAULO

Tiago Volpi; Tchê Tchê, Bruno Alves, Diego Costa, Reinaldo; Luan, Gabriel Sara (Léo), Daniel Alves, Igor Gomes (Arboleda); Luciano (Pablo), Brenner (Vitor Bueno). T.: Márcio Araújo (auxiliar)

FORTALEZA

Max Walef; Gabriel Dias, Roger Carvalho, Paulão, Bruno Melo; Felipe (Igor Torres), Juninho, Ronald (Yuri César), Tinga (Osvaldo); David (Wellington Paulista), Romarinho (Marlon). T.: Rogério Ceni

Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)

Juiz: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Gols: Brenner, aos 10min do primeiro tempo e aos 26min do segundo tempo (São Paulo); David, aos 35min, e Roger Carvalho, aos 46min do segundo tempo (Fortaleza)