São Paulo é vítima de fogo amigo e lei do ex, e perde do Cruzeiro

Gazeta Press
Jogadores do Cruzeiro comemoram gol contra de Lucas Pratto durante partida de ida da quarta fase da Copa do Brasil 2017, no Estadio do Morumbi. Foto: Gazeta Press
Jogadores do Cruzeiro comemoram gol contra de Lucas Pratto durante partida de ida da quarta fase da Copa do Brasil 2017, no Estadio do Morumbi. Foto: Gazeta Press

O São Paulo começou muito mal a sua série de jogos decisivos. Na fria noite desta quinta-feira, o Tricolor foi vítima de um roteiro cruel clássico do futebol. Jogando contra um organizado Cruzeiro, o time de Rogério Ceni sentiu a ausência do lesionado Cueva e perdeu por 2 a 0 em pleno Morumbi, com direito a gol contra de Lucas Pratto. Para aumentar o drama, o volante Hudson, ex-jogador do clube, deu números finais à fatídica partida.

Com o resultado, o São Paulo volta a perder após oito jogos de invencibilidade e precisará vencer a Raposa por três gols de diferença em Belo Horizonte para avançar às oitavas de final da Copa do Brasil. Caso devolva o placar, a vaga será definida nos pênaltis. O jogo de volta está marcado para a próxima quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Mineirão.

A derrota coloca o Tricolor sob enorme pressão para o clássico contra o Corinthians, às 19 horas deste domingo, novamente no Morumbi. O técnico Rogério Ceni terá apenas dois dias para elevar o moral de seus comandados para o duelo de ida das semifinais do Campeonato Paulista.

O jogo – Empurrado por mais de 40 mil torcedoresO São Paulo começou tomando a iniciativa e tentou pressionar o Cruzeiro nos primeiros minutos da partida. A equipe treinada por Mano Menezes, contudo, se postou bem em seu campo de defesa e não deixou que o goleiro Rafael fosse ameaçado.

Errando muitos passes, o Tricolor só foi conseguir invadir a área mineira graças a uma jogada individual. Aos 19 minutos, Jucilei avançou, passou por três marcadores e deixou Luiz Araújo livre na esquerda. O atacante bateu cruzado em direção ao gol, mas Rafael conseguiu mandar para escanteio.

O susto fez o time celeste sair da retranca e se arriscar mais à frente. A maior exposição por parte da Raposa deixou o jogo mais aberto. Aos 37, Jucilei acionou Wellington Nem em contra-ataque, mas Rafael chegou antes e salvou o Cruzeiro. No minuto seguinte, a resposta: Rafinha recebeu cruzamento da esquerda e pegou de primeira para isolar.

Mesmo com uma posse de bola de 63% no primeiro tempo, o São Paulo não conseguiu furar o bloqueio da equipe de Belo Horizonte, que conseguiu anular as principais peças tricolores com a marcação dobrada implantada por Mano Menezes.

A segunda etapa começou na mesma toada da primeira. Apesar de ocupar o campo de defesa adversário, o São Paulo não conseguia criar jogadas agudas, o que obrigou Rogério Ceni a colocar o meia Thomaz no lugar de Wellington Nem.

Mal a substituição acabara de ser feita, o Cruzeiro abriu o placar. Aos 16 minutos, após cobrança de falta pela direita, Lucas Pratto testou contra o próprio gol ao tentar afastar o perigo. No primeiro lance depois do fatídico erro, o argentino quase se redimiu em cabeçada, que só resultou no empate porque Rafael caiu para fazer grande defesa.

Mas, aos 24, o que era ruim piorou. E muito. Após cobrança de falta pela esquerda, a zaga do Tricolor voltou a falhar pelo alto e viu o volante Hudson subir e testar no canto direito de Renan Ribeiro, que foi pego de surpresa pelo cabeceio e não conseguiu evitar o segundo gol cruzeirense.

Na base do desespero, o São Paulo tentou diminuir o prejuízo nos minutos finais. Para isso, abusou dos cruzamentos e lançamentos, que foram todos afastados pela boa defesa mineira, responsável pelo ótima vantagem construída pelo time de Minas Gerais.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 0 X 2 CRUZEIRO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Data: 13 de abril de 2016, quinta-feira

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Anderson Daronco (RS-Fifa)

Assistentes: Rafael da Silva Alves e Leirson Peng Martins (ambos do RS)

Público: 43.662 pagantes

Renda: R$ 1.065.916,00

Cartão Amarelo: Ariel Cabral e Ábila (Cruzeiro); Thiago Mendes (São Paulo)

Gols:

CRUZEIRO: Lucas Pratto (contra), aos 16 minutos do 2º tempo; Hudson, aos 24 minutos do 2º tempo

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Buffarini (Araruna), Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei, Cícero (Gilberto) e Thiago Mendes; Wellington Nem (Thomaz), Luiz Araújo e Lucas Pratto

Técnico: Rogério Ceni

CRUZEIRO: Rafael; Mayke, Leo, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson (Lucas Romero), Ariel Cabral, Rafinha, De Arrascaeta e Thiago Neves (Alisson); Ramón Ábila (Raniel)

Técnico: Mano Menezes

Leia também