Ruim? A pior escalação do Athletico-PR no século XXI

·3 minuto de leitura

Depois de ganhar o Campeonato Brasileiro de 2001, o Athletico-PR voltou a ser protagonista no cenário do futebol brasileiro a partir de 2018, quando conquistou, em sequência, a Copa Sul-Americana e a Copa do Brasil.

Porém, as glórias não podem encobrir jogadores ruins, e o Furacão não fica de fora quando o assunto é investimento mal feito. É hora, sim, de conhecer o time dos piores jogadores que passaram pelo clube no século XXI.

Goleiro

1. Julián Viáfara

Colombiano foi contratado pelo Athletico-PR em 2007 | ORLANDO KISSNER/Getty Images
Colombiano foi contratado pelo Athletico-PR em 2007 | ORLANDO KISSNER/Getty Images

El Paredón era o apelido do goleiro. Só que o colombiano não foi tão seguro assim pelo Furacão. Chegou em 2007, mas na temporada seguinte já foi repassado ao Vitória. O máximo que conseguiu foi uma carta através da qual teve a sua educação enaltecida.

Laterais

2. Maranhão

Lateral-direito participou do Brasileirão da Série B pelo clube | Heuler Andrey/Agif/Gazeta Press
Lateral-direito participou do Brasileirão da Série B pelo clube | Heuler Andrey/Agif/Gazeta Press

O ano era 2012, e o lateral-direito chegou a Curitiba oriundo do Santos. Ficou no clube emprestado de julho a dezembro, sem deixar quase nada de saudades.

3. Héracles

Lateral-esquerdo chegou ao Furacão em 2010 | GIULIANO GOMES/Gazeta Press
Lateral-esquerdo chegou ao Furacão em 2010 | GIULIANO GOMES/Gazeta Press

O lateral-esquerdo defendeu o Athletico-PR entre 2010 e 2013. E o que ele deixou como legado? Absolutamente nada.

Zagueiros

4. Kadu

Zagueiro, oriundo do Vitória, ficou uma temporada no Furacão | EVARISTO SA/Getty Images
Zagueiro, oriundo do Vitória, ficou uma temporada no Furacão | EVARISTO SA/Getty Images

Veio do Vitória e não durou muito na Arena da Baixada. Chegou em 2015 e, já ao final do ano, se desligou do clube. Alguém aí se lembra de uma boa apresentação do defensor?

5. Baloy

Zagueiro panamenho fracassou na Baixada | Nick Laham/Getty Images
Zagueiro panamenho fracassou na Baixada | Nick Laham/Getty Images

O panamenho chegou ao clube em 2005, depois de fracassar no Grêmio. Adivinha? Fracassou de novo, tanto que no mesmo ano se transferiu para o Monterrey, no México, sem deixar qualquer tipo de saudade.

Meio-campistas

6. Robston

Volante veio do Atlético-GO, mas não conquistou fãs | Buda Mendes/Getty Images
Volante veio do Atlético-GO, mas não conquistou fãs | Buda Mendes/Getty Images

Apenas 20 jogos ao longo da temporada de 2011 foram suficientes para ver que o atleta não era suficiente para as pretensões do clube paranaense. Chegou como solução, mas ficou bem longe de se tornar um ídolo, como era no Atlético-GO.

7. Fran Mérida

Espanhol não convenceu em terras brasileiras | JUAN MABROMATA/Getty Images
Espanhol não convenceu em terras brasileiras | JUAN MABROMATA/Getty Images

Não adianta ser espanhol se não tiver bola no corpo. E Fran Mérida não apresentou muita coisa de útil com a camisa do Athletico-PR. Chegou em 2013, e mais tarde deixaria Curitiba rumo ao Huesca. Isso, claro, bem antes de acabar seu vínculo.

8. Marquinhos Gabriel

Jogador permaneceu por nove meses na Arena da Baixada | Buda Mendes/Getty Images
Jogador permaneceu por nove meses na Arena da Baixada | Buda Mendes/Getty Images

Durou nove meses a passagem do meia pelo Furacão. E ele não deixou saudade alguma. Era considerado uma peça a participar da reformulação do elenco rubro-negro e, embora tenha sido titular em parte do período, ficou muito aquém do esperado.

9. Martín Ligüera

Meia uruguaio fracassou na equipe de Curitiba | PABLO PORCIUNCULA/Getty Images
Meia uruguaio fracassou na equipe de Curitiba | PABLO PORCIUNCULA/Getty Images

O meia uruguaio foi um rotundo fracasso no ano de 2012. Ou seja, nem de longe conseguir ser o jogador dos tempos de Nacional-URU e Olimpia-PAR. Aliás, chegou a ser eleito o melhor atleta de uma temporada em seu país. Esse Ligüera, definitivamente, não desembarcou no Brasil.

Atacantes

10. Federico Nieto

Argentino ficou mais de dois anos vinculado ao clube | AFP/Getty Images
Argentino ficou mais de dois anos vinculado ao clube | AFP/Getty Images

Ficou vinculado ao clube durante dois anos e meio- entre o meio de 2010 e o início de 2013. Nunca empolgou a torcida rubro-negra antes de deixar o clube rumo ao Deportivo Quito, do Equador.

11. Grafite

Centroavante foi contratado de olho na Libertadores | HEULER ANDREY/Getty Images
Centroavante foi contratado de olho na Libertadores | HEULER ANDREY/Getty Images

Em meio ano, apenas um gol - e de pênalti. Grafite durou no Furacão apenas o primeiro semestre de 2017: "Infelizmente, às vezes, as coisas não acontecem como desejamos", disse ele, após rescindir o contrato em comum acordo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos