Rueda explica problema no caso Soteldo e dá prazo para negociação

LANCE!/DIÁRIO DO PEIXE
·2 minuto de leitura


A novela do processo envolvendo Santos, Huachipato (Chile) e Soteldo ainda parece longe do fim. O venezuelano está completando dois anos de Peixe, mas o clube ainda não acertou a dívida com os chilenos, o que resultou em processo na Fifa, e as partes tentam um acordo. O presidente santista Andres Rueda afirmou que entre os clubes está tudo certo, mas que o jogador ainda reluta em assinar o acerto.

- Toda a parte comercial foi feita. Estafe do jogador não quer voltar para lá e colocamos ponto final. Prazo é mais uma semana ou duas. Ou assina acordo ou consideramos desfeito e buscamos outra alternativa. Soteldo não gostaria de voltar para lá, tem a condição financeira dele. Não confia no clube e não quer voltar nessas condições. Exige garantias, que pelo jeito não estão dando -afirmou o presidente.

A proposta do Huachipato tem 9 tópicos e prevê a recompra de 50% dos direitos do jogador por US$ 3,5 milhões, que é o valor referente a uma parte da dívida do Peixe com o clube chileno. Além disso, o Huachipato promete encerrar as demandas contra o Santos na Fifa, além de pagar as taxas do processo. Além de pagar US$ 200 mil diretamente ao atacante Soteldo pelas dívidas do Santos com o jogador entre salários e direitos de imagem.

Outros dois pontos importantes da proposta dizem respeito a uma eventual transferência futura do jogador. Não existe garantia de tempo de permanência de Soteldo no clube. A proposta fala que ele segue no clube até que uma proposta de transferência atenda às expectativas do Huachipato. Ou seja, o atacante pode deixar o Santos a qualquer momento.

-Qual a ideia? Parar, porque não se acerta ou desacerta. Se não me engano era até o final da próxima semana ou da outra para assinar ou desfazer acordo. Podemos pensar nele ficar, por que não? Interessa, é excelente jogador. Tudo pode acontecer - concluiu Rueda.

Atlético Nacional

Outro acordo que ainda precisa ser finalizado é com os colombianos do Atlético Nacional, pela compra de Felipe Aguilar. O Peixe deve o valor de US$ 774 mil, mais juros e multa, o que dá cerca de R$ 7 milhões, mas Rueda garante que os valores foram ajustados e logo o processo será encerrado.

-Atlético Nacional aguardamos ter dinheiro para honrar. Acordo foi feito, com valores ajustados, mas bloqueio da Doyen com as despesas da Globo atrapalhou um pouco. Isso prontamente vai ser liquidado - explicou Rueda.