Rubro-Negro, Kayke explica foto com a camisa do Fluminense e relembra momentos no Fla

Goal.com

Cria das categorias de base do Flamengo, Kayke passou grande parte de sua vida profissional no clube, mas foi em 2015 que o sonho de menino se tornou realidade. Depois de passar por várias equipes mundo a fora, ele voltou ao Ninho do Urubu e em pouco tempo conquistou o carinho da torcida com seus gols e a entrega em campo. 

Mas em 2018, ao ser contratado pelo Fluminense, Kayke casou um nó na cabeça de torcedores de Fla e Flu. Na ocasião, o jogador utilizou as redes socias para postar uma foto de infância com a camisa Tricolor. Em bate papo com a reportagem da Goal, o atacante explicou o momento curioso.

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tava escrito 🇭🇺🙌🏾 @fluminensefc

Uma publicação compartilhada por K a y k e M o r e n o (@kaykemoreno) em 16 de Ago, 2018 às 11:53 PDT

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Meu pai era tricolor, assim como o meu avô, então ele me influenciava, como sempre acontece quando você é criança. Naquela foto eu tinha 4 anos de idade, ele colocava a camisa do Fluminense em mim, eu não tinha noção. Depois, quando eu fui crescendo e fui tendo noção das coisas, escolhi o meu time, o Flamengo. Em 1994, eu lembro, quando o Romário chegou no Flamengo, eu era criança, aí não teve jeito. Mas naquele momento, minha tia publicou a foto, eu achei bacana porque tem uma história toda com meu pai e eu estava chegando no Fluminense naquele momento. Não era problema, na minha carreira sempre tive respeito por todo clube que passei". 

Apesar do respeito pelo Fluminense, Kayke nunca escondeu a forte ligação com o Flamengo e curiosamente, um clássico diante do Tricolor, foi um dos momentos mais marcantes da carreira do atacante que também passou por clubes como Atlético-GO, ABC-RN, Santos e Goiás. 

Kayke - Fluminense x Flamengo 090615
Kayke - Fluminense x Flamengo 090615

(Foto: Buda Mendes / Getty Images )

"Um dos jogos que mais me marcou, de gols, foi em 2015, um Fla-Flu no Maracanã. Eu seria titular, o Guerrero estava na seleção peruana. Um dia antes, ninguém sabe disso, só a minha família, eu tive uma crise de labirintite, nunca tive isso. O Tannure me examinou e disse que era uma crise de ansiedade, eu não achava que estava ansioso, mas eu estava. No dia seguinte, indo para o jogo, no ônibus, fechei os fechei os olhos ouvindo música e torcendo para não sentir nada. Fiz o aquecimento, quando começou o jogo, logo no início coloquei uma bola na trave do Fluminense e o Maracanã veio abaixo com a torcida, naquele momento passou tudo, eu já não sentia mais nada. Depois eu fiz o gol, era um sonho de criança se realizando, toda a minha família estava no estádio, realmente inesquecível". 

Agora no Qatar, Kayke veste as cores do Qatar SC, ele teve a oportunidade de acompanhar o Flamengo no Mundial de Clubes e reencontrar ex-companheiros. Avaliando o momento do time Rubro-Negro, fez questão de rasgar elogios a Bruno Henrique, com quem fez boa dupla no Santos. 

Bruno Henrique Flamengo Al Hilal Mundial de Clubes 17 12 2019
Bruno Henrique Flamengo Al Hilal Mundial de Clubes 17 12 2019

(Foto: Getty Images)

"O Bruno Henrique tem um potencial gigantesco. A gente teve oportunidade de atuar juntos no Santos, ele estava em um momento muito bom. A gente fez uma ótima dupla, gols importantes na Libertadores, Bruno me dando alguns passes. Gabigol tem tido uma vida fácil ao lado dele. Apesar da qualidade o Gabigol, que na minha opinião é o melhor atacante do Brasil na atualidade, mas com o Bruno ao lado fica muito mais fácil". 

Aos 31 anos de idade, Kayke, assim como boa parte do mundo, está treinando em casa, uma vez que, por conta do coronavírus, o futebol no Qatar deu uma pausa. O atleta ainda não sabe como ficarão as competições por lá, mas segue rigorosamente a rotina de exercícios.

Leia também