Rossi: Yamaha precisa de um programa de testes "sério" na MotoGP

Lewis Duncan
·1 minuto de leitura

.

Mas três deles vieram de Franco Morbidelli na Petronas SRT M1 2019 'Modelo-A'. O italiano é o piloto mais bem colocado da Yamaha, em segundo na classificação após a vitória no GP de Valência.

<span class="copyright">Gold and Goose / Motorsport Images</span>
Gold and Goose / Motorsport Images

Gold and Goose / Motorsport Images

Com o impacto da COVID-19, os planos de testes da Yamaha com Jorge Lorenzo foram arruinados, com o espanhol apenas correndo com a M1 2019 por quatro vezes neste ano.

Lorenzo não ficará para 2021, com Cal Crutchlow da LCR Honda assumindo o posto de piloto de testes da Yamaha.

Rossi admite que a sua primeira escolha foi Andrea Dovizioso, que estava perto de um acordo antes de optar por um ano sabático, mas celebra a chegada de Crutchlow.

"A Yamaha precisa de um programa de equipe de teste sério na Europa no próximo ano", acrescentou Rossi.

Equipes de teste fortes ficaram no centro das atenções nesta temporada após a vitória da KTM, que foi atribuída em grande parte ao trabalho de Pedrosa com a marca desde o ano passado.

O trabalho de Sylvain Guintoli com a Suzuki desde 2017 também foi elogiado como um fator que contribuiu para a fabricante japonesa levar o título de 2020 com Joan Mir.

Entenda como Racing Point deixou de ser apenas a ‘Mercedes rosa

Podcast #076 – Hamilton x Schumacher: a comparação entre os campeões da F1

Your browser does not support the audio element.