De Rossi viveu, no Boca, um último amor antes de se aposentar

Campeão mundial pela Itália em 2006, o meio-campista Danielle De Rossi anunciou nesta segunda-feira (06) que não seguirá mais no Boca Juniors. E que não jogará mais profissionalmente. Após 18 anos, uma das maiores bandeiras na história da Roma provou, mesmo sem ter somado dez partidas pela equipe argentina, que não foi completamente o que chamamos de “homem de um clube só”.

“Eu vou me aposentar do futebol e faço isso em um clube que ganhou um pedaço do meu coração. Deixo para trás meu esporte, minha paixão e meu trabalho. Já seria algo que aconteceria em junho ou dezembro”, afirmou em entrevista coletiva.

“O Boca foi uma aventura diferente na minha vida. Eu nunca pensei que poderia amar tanto um clube que não era a Roma. Vocês sabem o que o Boca significa, a torcida e La Bombonera. Um pedaço do meu coração vai ficar aqui”.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Chegada nos braços da torcida

De Rossi surpreendeu o mundo do futebol quando anunciou, em 2018, o seu acerto com o Boca Juniors. O interesse pelos Xeneizes começou por causa da amizade com o argentino Nicolás Burdisso, com quem atuou na Roma entre 2009 e 2013. Já em sua chegada a Buenos Aires, foi recebido por uma multidão de torcedores no aeroporto.

Poucos jogos e apenas um gol

De Rossi Pratto River Plate Boca Juniors Superliga 01092019
De Rossi Pratto River Plate Boca Juniors Superliga 01092019
Em ação contra o River Plate (Foto: Getty Images)

Nos últimos dez anos o forte de De Rossi, um volante de contenção, não era marcar gols. As qualidades estiveram mais nos desarmes, passes e a liderança dentro do vestiário. A regularidade com a qual sempre esteve em campo também foi marcante: desde 2003 o italiano não disputava menos de 20 jogos por temporada. Quis o destino que isso acontecesse justamente no Boca, onde sofreu com lesões: vestido de Azul y Oro, foram apenas sete partidas e um gol. E ainda que nenhum título tenha vindo, o italiano de 36 anos colecionou alguns momentos únicos nos poucos meses de intensa paixão em terras argentinas.

Apenas mais um em Buenos Aires

 

Desde sua chegada, De Rossi esbanjou tamanha humildade que impressionou até mesmo a imprensa argentina: recusou um hotel de luxo para se hospedar em um menos exagerado antes de ter escolhido, no bairro de Palermo, uma casa para viver os últimos dias como profissional.

Além de ter se esforçado para aprender a falar espanhol, objetivo que conseguiu absolutamente, Danielle costumava sendo visto andando na rua normalmente, fazendo suas compras em família e sem jamais negar uma foto aos seus admiradores.

Esta parte da foto, aliás, é o que acaba marcando este carinho do jogador com a cidade e os torcedores do Boca: durante os meses em Buenos Aires, De Rossi fez “selfies” no mínimo engraçadas. A mais emblemática de todas aconteceu no trânsito: aproveitando o sinal fechado, um torcedor chamou a atenção do jogador e, mesmo com a distância de um carro para outro, a foto aconteceu.

Futuro

Ao contrário do que foi especulado, a saída de De Rossi em nada teve a ver com algum possível problema com Riquelme, ex-craque e atual dirigente do clube. O italiano conseguiu se adaptar à nova cidade, mas foi vencido pela saudade que sentia de sua família – que permaneceu em Roma.

“Quero deixar claro que não há nenhum problema, ninguém da minha família está passando por problemas de saúde. Eu tenho uma necessidade com minha filha e com minha família: ela sente a minha falta e eu sinto a dela”, explicou, antes de garantir: “eu continuarei a trabalhar no futebol”.

Homenagens

Tão cedo fez o anúncio de sua aposentadoria, Danielle De Rossi recebeu homenagens do Boca Juniors... e obviamente da Roma, clube que só tem 99% do amor do vitorioso meio-campista porque 1% ficou dentro da Bombonera.

Títulos conquistados: Coppa Italia (2006-07 e 2007-08), Supercoppa Italiana (2007), Copa do Mundo (2006).

Leia também