Rony revela dificuldades durante período de recuperação: ‘Só minha família sabe o que passei’

·2 minuto de leitura


Decisivo na vitória sobre o Athletico-PR, no último sábado (28), no Allianz Parque, o atacante Rony recuperou-se de uma grave lesão na coxa esquerda e voltou a ser escalado por Abel Ferreira nas últimas partidas. O jogador, que teve o problema muscular constatado após o duelo contra o Grêmio, pela 10ª rodada do Brasileirão, no início do mês de julho, contou sobre as dificuldades no processo de recuperação.

– Foi um momento muito difícil para mim. Só Deus e minha família sabem o que eu passei nessas semanas de dores. Foi um momento horrível e que não desejo para ninguém, sendo que foi uma lesão muito chata de se tratar. Felizmente, já estou praticamente 100% recuperado e sem dor alguma, podendo ajudar meus companheiros dentro de campo, e isso não tem preço – afirmou o camisa sete alviverde em entrevista ao programa Gazeta Esportiva, da TV Gazeta.

Artilheiro do Verdão na Libertadores 2021 e destaque na campanha do título continental da temporada passada, Rony tem sido um dos principal nomes do Verdão na competição, atuando tanto pelos lados do campo como na referência do ataque. Questionado sobre sua posição de preferência no esquema de Abel, o atacante revelou que tem maior apreço em atuar como um ponta, mas sinalizou que nunca teve problemas em fazer outra função no setor ofensivo.

– Quando o treinador opta por você fazer uma função, temos que dar o nosso melhor, independente da posição onde você escalado ou costuma atuar. Todo mundo sabe que sou um ponta e sempre joguei pelos lados do campo, é um lugar onde sempre amei jogar. Quando o Luiz Adriano estava machucado, o professor Abel pediu que eu jogasse como um falso nove. Tive a felicidade de marcar alguns gols jogando nessa nova função. É difícil para mim jogar como um centroavante, mas tenho que dar o meu melhor sempre – revelou.

Analisando a forma do Palmeiras se portar em campo e a maneira como o técnico português arma a equipe para cada duelo, Rony afirmou que o Palestra consegue adaptar o modelo de jogo de acordo com o adversário, reiterando que Abel passa para o grupo “uma filosofia diferente para cada confronto”.

– Acredito que cada treinador tem sua maneira de jogar. Como Abel sempre fala, cada jogo é um jogo e tem sua filosofia diferente, abrindo a possibilidade para que ele arme a equipe de um forma distinta toda vez. Nós jogadores temos que ser ofensivos e continuar atacando para sempre tentar marcar o gol, mas o professor é muito inteligente e sabe que nem sempre as coisas são desse jeito.

Com o duelo diante do Ceará adiado por conta dos Jogos da Seleção Brasileira pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, o Palmeiras terá duas semanas livres para treinos e só voltará a atuar no dia 12 de setembro, às 16h, para encarar o Flamengo, no Allianz Parque.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos