Rony 'Jason' chora após derrota no UFC Fortaleza: "Não sei como vai ficar minha carreira"

Rony entra com sua tradicional máscara do Jason - Inovafoto

Rony ‘Jason’ tem motivos de sobra para estar chateado com sua apresentação no último sábado (11), no UFC Fortaleza. Lutando em casa, o campeão do TUF Brasil 1 foi superado pelo jovem canadense Jeremy Kennedy na decisão dos jurados e anotou a pior sequência de sua carreira. E, por isso, ele desabou diante dos jornalistas após o duelo.

Durante a entrevista, Jason chorou ao lembrar de seu retrospecto de apenas uma vitória nas últimas seis apresentações, período que incluiu um flagra em uma exame antidoping. Próximo de uma demissão, o atleta ainda decepcionou seus conterrâneos quando era o único cearense a competir no evento.

“É muito chato porque sou o único cearense aqui no card, e sempre dei o meu melhor em tudo, e vou chegar em casa e vou chorar para c*** ainda. Mas tenho minha família, tenho meus filhos, que vão estar esperando. Só tenho que pedir desculpas ao nordestino e ao cearense que acreditaram. Não sei como vai ficar minha carreira no UFC, mas independente de qualquer coisa, obrigado a todos os fãs que torceram por mim”, afirmou, enxugando as lágrimas de eu rosto.

Superado pelo jovem rival, Jason reconheceu a derrota, mas deixou clara sua insatisfação com a postura do oponente. De acordo com sua análise logo após o duelo, o canadense teria jogado no limite da regra e amarrado a luta.

“Nunca vou fugir de combate, sou um cara que sempre tento lutar. Tentando dar show, o melhor possível, e realmente peguei um cara novo, com uma resistência boa, mas que realmente não quis lutar. Quis só me colocar para baixo e amarrar a luta. […] Não (foi erro dos árbitros), o erro foi meu por não ter nocauteado e nem finalizado”, narrou.

Mais experiente, o atleta dono da casa tentou usar esse aspecto a seu favor. No entanto, o Jeremy soube conter seu ímpeto e jogar nos erros e excesso de agressividade apresentados. Como resultado, repetidas quedas deram cabo do cearense, que acabou dominado mesmo após conseguir dois knockdowns.

“Tentei mexer no psicológico dele, que é um cara novo, e realmente estava conseguindo controlar a distância. Mas em certos momentos ele fintava a queda e quando eu entrava no golpe ele mergulhava nas minhas pernas para tentar amarrar a luta, e foi o que ele fez”, reconheceu.