Ronaldo Fenômeno fala de vida noturna e brinca sobre possível dupla com Adriano Imperador no Flamengo

·3 min de leitura

O ex-jogador Ronaldo Fenômeno passou do podcast 'Flow' e falou sobre diversos temas como seu novo canal de TV para entretenimento, da fase em que foi perseguido pelo meme de Zina, no 'Pânico na TV', mas também falou de vida pessoal, apesar de entender que o que o jogador faz na hora de folga não deveria ser da conta de ninguém.

Sobre uma possível dupla com Adriano Imperador em 2009, no Flamengo, quando o Fenômeno chegou a treinar com o elenco para se recuperar de uma lesão, mas acabou indo para o Corinthians, o ex-jogador brincou dizendo que não poderia dar certo, dando a entender que o motivo seria a vida noturna no Rio de Janeiro.

"Eu poderia ter morrido naquele ano se eu tivesse com o Adriano no Flamengo (risos) É isso que você me deseja", disse ele, ao entrevistador, que insistiu no assunto e perguntou se ele era perseguido pelo o que fazia na vida privada.

"Sofri igual (ao Neymar), acho isso maior escrotidão. Acho que a vida privada da personalidade, de uma celebridade ou de um atleta, não devia importar ninguém. O que importa o que fulano pegou, 'comeu' ou 'deixou' de comer. Aonde está a notícia ai?", disse Ronaldo.

"Por que tem que condicionar isso (jogar bem com não sair)? Não é sempre que vai jogar bem, ai o dia que jogar mal atrela porque saiu e fez isso e aquilo", afirmou.

Ronaldo ainda falou sobre uma conversa que teve com Florentino Perez, presidente do Real Madrid, que o aconselhou a sair menos assim como Figo. A resposta viralizou à época.

"Florentino Perez chegou pra mim e falou, segue o exemplo fodo Figo, fica em casa com sua esposa. Ai eu falei: 'presidente, se eu tivesse a mulher do Figo ficava em casa todo dia", disse, aos risos.

"E eu sou muito amigo do Figo, conheço a esposa dele... A Helen, são maravilhosos, logicamente levam na brincadeira, mas... Em Madrid, estava lá solteiro, famoso pra car... Eu dei uma zoadinha, foi bom pra caramba. Se eu tivesse como voltar atrás não teria ido na marcha 6, teria ficado na quarta (pegado mais leve)", disse.

Ronaldo afirmou que não acredita que suas lesões na carreira foram por causa das baladas, mas sim pela forma como treinava.

"Por que eu me machuquei? Na minha cabeça, não está atrelado a noite e bebida, atrelo a maneira que a gente treinava, nos primeiros 10 anos da minha carreira. Uma das coisas que evoluiu muito no futebol foi a preparação física. Na segunda década da minha carreira eu treinava as minhas características, do que eu precisava. Mas no começo os caras me botavam pra correr junto com Cafu e Roberto Carlos, fazer 10km no ritmo deles. Aquilo foi me matando aos poucos de uma maneira que sou traumatizado até hoje. Eu sofro correndo corrida lenta de longa duração, pra queimar gordura. Eu sempre fui de fibra explosiva, então eu tinha que treinar velocidade", comentou.

"Vida de jogador, a gente começa muito cedo, perde a adolescência, juventude e passa a ser adulto com dinheiro, mas preso. Não pode fazer porra nenhuma. Sempre que eu fazia alguma merda eu falava que sofria de adolescência tardia", disse, aos risos.

"Com 16 anos eu já era o Ronaldo (famoso, no Cruzeiro). Imagina com 16 anos, em Belo Horizonte, famoso, cara... Não foi fácil (risos). A quantidade de mulher bonita que tem em BH é uma coisa de louco", concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos