Ronaldo Fenômeno e a mágoa com o Barcelona: "eu queria ter continuado

Goal.com

Ronaldo “Fênomeno” foi ídolo em todos os clubes que defendeu. Com grandes passagens por Barcelona, Inter de Milão e Real Madrid, ele acumula diversos títulos, troféus e admiradores dentro e fora de campo por todo o mundo. Porém, o que pouca gente sabe é que o atacante brasileiro não queria ter deixado o clube catalão em 1997. E quem disse isso foi o próprio Ronaldo, em entrevista concedida à LaLiga e veiculada pelo DAZN Itália.

“Eu assinei a renovação do meu contrato no final da temporada e viajei com a seleção brasileira. Cinco dias depois, eles me ligaram para me dizer que não podiam renovar comigo. Nunca esteve nas minhas mãos”, explicou o Fenômeno. “O clube não me valorizou como eu pensei que fariam. Eu queria ficar, mas não era minha decisão”, completou.

O presidente do Barcelona na época, Joan Gaspert, revelou à Goal em 2018 que não queria ter deixado Ronaldo sair, mas foi forçado por conta de uma oferta irrecusável. Ao deixar a Catalunha, o camisa 9 se transferiu para a Inter de Milão, time em que esteve por cinco temporadas.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
Ronaldo Inter Barcelona 24 10 2018
Ronaldo Inter Barcelona 24 10 2018
Foto: Montagem Goal

O centroavante também disse que amou jogar pelo clube de Milão, onde sempre foi muito bem tratado por todos, mas também confessou que teve problemas com seu treinador na época, Héctor Cuper, fato que acabou culminando com sua saída da Itália.

“Eu realmente amei a Inter e recebi um amor incondicional de todos os fãs. Mas com o treinador que estava lá na época, eu não podia seguir”, contou Ronaldo. “Conversei com o presidente Moretti e disse: ‘Senhor presidente, eu não posso continuar com esse treinador. Ou ele vai ou eu vou’. Ele escolheu continuar com Cúper”.

A saída de Milão fez com que o craque brasileiro fosse para o Real Madrid, maior rival do Barcelona. Porém, a escolha do novo clube teve forte influência de Roberto Carlos, amigo de Ronaldo e seu colega de seleção brasileira.

“Eu joguei ao lado de Roberto Carlos pelo Brasil e ele me contava tudo sobre o que o Real Madrid representava e o que ele vivenciava aqui. Aquilo ficou na minha cabeça”, confessou o camisa 9. “Eu fui para o Madrid e foi ainda melhor do que o Roberto havia me dito. É o Real Madrid. Foi um prazer descobrir o quão grande é o clube e que eu o ajudei a ser ainda maior”.

Por fim, Ronaldo também revelou o grande motivo de sua aposentadoria em 2011, quando atuava pelo Corinthians.

“Eu decidi parar por conta da lesão que me acompanhou no meu último ano de carreira. Foi uma pubalgia séria que me causou uma das maiores dores da minha vida”, explicou o Fenômeno. “Aos 35 anos, eu não queria me submeter a outra cirurgia. Eu senti que não teria forças para me recuperar e que eu já havia feito o meu trabalho. Minha missão havia sido cumprida”, finalizou.

Ronaldo encerrou sua carreira como um dos maiores atacantes da história do futebol mundia, com uma fila de títulos, incluindo duas Copas do Mundo, três troféus de melhor jogador do mundo e 414 gols marcados.

Leia também