Ronaldinho Gaúcho investigado no Paraguai por suposto uso de passaporte adulterado

AFP
Ronaldinho no aeroporto internacional Silvio Pettirossi em Luque, em 4 de março de 2020
Ronaldinho no aeroporto internacional Silvio Pettirossi em Luque, em 4 de março de 2020

O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Assis estão sendo investigados no Paraguai pelo suposto uso de passaportes adulterados para entrar no país, anunciaram fontes do governo na quarta-feira à noite.

"Ronaldinho deverá prestar depoimento nesta quinta-feira na Promotoria, onde se determinará sua situação", declarou à imprensa o ministro do Interior, Euclides Acevedo.

O ministro disse que os dois estão sob vigilância, mas livres.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Acevedo admitiu que a polícia compareceu ao local em que está hospedado o ex-astro do FC Barcelona em Assunção, onde agentes apreenderam passaportes de suposto conteúdo adulterado, confeccionados há alguns meses na cidade.

"A Direção de Investigações (da Polícia) fez a denúncia ao Ministério Público. Nós, como autoridade, não podemos deixar passar esta irregularidade", afirmou Acevedo à imprensa.

Ele explicou que a polícia percebeu que os documentos em posse de Ronaldinho e seu irmão não aparecem no sistema do país.

"Também estamos investigando a responsabilidade das autoridades que permitiram a entrada destas pessoas com documentos adulterados", disse.

"Eles estão sob vigilância, mas livres, juridicamente façando. Mas terão que comparecer e a Promotoria determinará o destino deles".

As autoridades que investigam o caso ordenaram a detenção de um cidadão brasileiro relacionado ao ex-jogador.

O ministro Acevedo afirmou que "este senhor Ronaldinho tem contas pendentes com a justiça brasileira".

A justiça brasileira chegou a retirar o passaporte de Ronaldinho no fim de 2018, quando o ex-atleta recebeu uma multa ambiental de 8,5 milhões de reais. No ano passado, Ronaldinho e o irmão chegaram a um acordo com o MP para receber os documentos de volta.

Leia também