Rollo rompe de vez com Peres após suspeita de 'crime' no contrato de Sanchez

Yahoo Esportes
<em>Vice-presidente alega que Pedro Doria assinou em seu lugar (Ivan Storti/Santos FC)</em>
Vice-presidente alega que Pedro Doria assinou em seu lugar (Ivan Storti/Santos FC)

Um dia depois de o impeachment do presidente José Carlos Peres ser aprovado no Conselho Deliberativo do Santos, mais uma bomba política explodiu na Vila Belmiro. Ao Blog, o vice-presidente, Orlando Rollo, revelou inconformismo com o fato de Pedro Doria, maior aliado de Peres, ter assinado em seu lugar o contrato de compra de Carlos Sanchez (a imagem do contrato está mais abaixo, nessa matéria).

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

“Isso talvez possa até configurar um crime”, avalia Rollo, colocando em dúvida o motivo de sua assinatura ter sido substituída pela de um membro do Comitê de Gestão. “Com certeza pode ter algum interesse escuso nisso. Porque eu estava na Vila Belmiro no dia da assinatura do contrato e ninguém me chamou ou avisou de nada.”

O vice-presidente assegura que, inclusive, participou de uma reunião do próprio Comitê de Gestão na oportunidade. “Não sei por que assinaram no meu lugar. Confesso que estranhei, até porque fui a favor da contratação do Sanchez”, emenda. “E, pelo estatuto, o presidente poderia ter assinado com qualquer outro membro do CG. Então, por que pôr o meu nome lá?”

<em>Pedro Doria assinou no lugar de Rollo o contrato de Sanchez (Reprodução)</em>
Pedro Doria assinou no lugar de Rollo o contrato de Sanchez (Reprodução)

Peres e Rollo se distanciaram nas primeiras semanas de gestão, depois de o presidente não deixar o departamento de futebol sob os cuidados de seu vice, como combinado no momento que antecedeu a eleição. Hoje, se Peres for de fato impedido de continuar no Santos, será Rollo quem assumirá o clube até o fim do mandato.

O vice-presidente não descarta a possibilidade de que Sanchez ficou de fora da lista de inscritos na Copa do Brasil devido ao fato de as assinaturas no contrato não baterem.

Por fim, ele alega que acabou assinando, dias depois, o documento, a fim de evitar qualquer punição ao Santos. “Soube que acabaram apresentando um outro contrato, repleto de assinaturas, quando essa história começou a ganhar mais destaque. Mas o original, que está arquivado no Santos, não continha a minha assinatura.”

Rollo também decidiu consultar um advogado para saber como proceder. “Tenho preocupação jurídica em relação à parte criminal, civil e administrativa.”

Outro lado: O Blog entrou em contato com o departamento jurídico do Peixe, que contrapõe uma série de pontos expostos por Rollo. A começar pela não inscrição de Sanchez na Copa do Brasil. De acordo com os aliados de Peres, o contrato que resultou na polêmica, por causa da assinatura, nem foi para a CBF, ou seja, não poderia ter sido o motivo da barração do uruguaio.

Sanchez ficou fora da fase de quartas de final da Copa do Brasil porque a entrada no pedido de inscrição ocorreu depois do prazo limite. O Peixe também teve problemas com Sanchez na Libertadores – ele teria de cumprir um jogo de suspensão e acabou escalado diante do Independiente, causando a derrota nos tribunais por 3 a 0, depois de o jogo acabar empatado em 0 a 0.

O jurídico do Santos ainda questiona Rollo sobre sua assinatura mesmo depois de Pedro Doria ter assinado no seu lugar. “Se é crime, como ele disse, ele acabou se tornando um coautor assinando depois?”, indagou um aliado do presidente.

Por fim, o grupo da situação confirmou que não há a necessidade de Rollo assinar, como o vice já havia dito, e que seu nome só aparece no contrato porque tal documento é padrão, impresso sempre desta maneira.

Veja mais no Blog do Jorge Nicola

Leia também