Rollo diz que Santos pode 'fechar as portas' caso não negocie Verissimo

Fábio Lázaro* 
·2 minuto de leitura


Durante a reunião do Conselho Deliberativo realizada virtualmente nesta terça-feira (17), o presidente em exercício do Santos, Orlando Rollo, reiterou a importância do clube negociar o zagueiro Lucas Veríssimo com o Benfica (POR). Enfático, o mandatário inclusive disse que caso a operação não prossiga o Peixe pode "fechar as portas".

O Conselho Fiscal reprovou o avanço do negócio, que chegou a ser votado pelo Deliberativo, mas Rollo solicitou uma revalidação nos próximos dias, frente o que ele considera fundamental a venda de Verissimo para fazer caixa, o que o cartola diz não ter mais previsão para 2020.

Além da inadimplência com outros clubes, como Huachipato (CHI) e Atlético Nacional (COL), que bloqueiam o Peixe junto a Fifa e o impede de registrar novos atletas, o temor de Rollo é perder jogadores gratuitamente, já que acumula dívidas em salários e direitos de imagem, o que abre precedentes para rescisão unilateral de contrato.

- Comitê de Gestão do Santos não terá responsabilidade caso percamos todos os jogadores de graça. Conste-se em ata. O Comitê de Gestão trouxe a solução. Não poderemos ficar com essa pecha - disse Orlando durante a reunião.

O Benfica (POR) propôs ao Peixe um empréstimo de um ano por Lucas Veríssimo, entre janeiro de 2021 e janeiro de 2022, com obrigatoriedade de compra após o período. O time português desejar pagar 6,5 milhões de euros (R$ 41,1 mi) em cinco parcelas. Mediante a situação financeira delicada do Alvinegro, a diretoria conseguiu a antecipação desses valores junto a um grupo de investimento belga, que reteria 1,4 milhões de euros (R$ 8,8) e repassaria 5,1 milhões de euros (R$ 32,2 mi) ao Santos, que tem 80% dos direitos econômicos do defensor - os outros 20% pertencem ao próprio atleta.

Rollo ainda admitiu que recebeu uma melhor proposta por Lucas Veríssimo, vinda do Al-Nassr (SAU), que ofereceu pagar 3 milhões (R$ 15,9 mi) de dólares no ato fechamento do negócio e 3,5 milhões (R$ 18,6 mi) de dólares em janeiro, quando Lucas se apresentaria ao clube. Porém, o zagueiro não topou o negócio, pois deseja ser transferido apenas para a Europa.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini