Roger Guedes liberado para jogar no Brasil. Outros astros da Superliga Chinesa também podem ficar aqui?

Yahoo Esportes


Roger Guedes deve ser liberado para ficar no Brasil até dezembro. Salários, inclusive, podem ser pagos integralmente pelo Shandong Luneng (Getty Images)
Roger Guedes deve ser liberado para ficar no Brasil até dezembro. Salários, inclusive, podem ser pagos integralmente pelo Shandong Luneng (Getty Images)

O Ministério das Relações Internacionais da China anunciou em 26 de março a suspensão temporária da entrada de estrangeiros em território chinês. E isso pode se tornar definitivo para todo o ano de 2020, impedindo a entrada de diversos excelentes jogadores brasileiros que estão de férias por aqui, de acordo com o jornalista Heverton Guimarães.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O Blog entrou em contato com diversas pessoas envolvidas no assunto. O empresário Paulo Pitombeira, que representa Roger Guedes, já tem a informação do Shandong Luneng de que o atacante está liberado para encontrar um clube no Brasil em 2020, por empréstimo. E as tratativas são para que o Shandong assuma 100% dos salários no período.

Importante: então diretor-executivo do Palmeiras, Alexandre Mattos pôs uma cláusula no contrato de venda com o Shandong prevendo multa de 3 milhões de euros em caso de volta de Guedes, por empréstimo, a qualquer clube brasileiro. Tal valor teria de ser pago pelo Shandong. Os chineses, porém, podem recorrer à Fifa alegando que o Coronavírus causou uma realidade completamente diferente.

Mas a notícia causou surpresa em outros entrevistados. Renato Augusto, jogador do Beijing Guoan, desconhece a possibilidade de o veto à entrada dos estrangeiros ser prorrogada até o fim do ano. E vê tal possibilidade como remota. Scheidt e Cesar Soler, empresários brasileiros extremamente influentes no mercado chinês, também não cravam que a proibição dure muito tempo.


Renato Augusto, do Beijing Guoan, está de férias no Rio, mas não acredita que o fechamento da fronteira chinesa vá se estender até o fim do ano (Getty Images)
Renato Augusto, do Beijing Guoan, está de férias no Rio, mas não acredita que o fechamento da fronteira chinesa vá se estender até o fim do ano (Getty Images)

Paulinho, do Guangzhou Evergrande, renovou seu visto chinês nesta semana e tentará embarcar em 12 de junho. Seu clube tem a informação de que a liga nacional será reiniciada em meados de julho.

Já o atacante Rafael Silva, que pertence ao Wuhan Zall, e está na China desde o início do ano considera real a chance de o governo impedir a entrada de estrangeiros até dezembro. “Ainda não falaram nada para nós sobre isso, mas pode sim acontecer”, afirma o ponta.

Lista de peso: Além de Roger Guedes, um eventual veto definitivo dos chineses permitiria a clubes brasileiros uma oportunidade de ouro para se reforçar. É que vários astros da Superliga Chinesa ainda estão de férias em território nacional, como Renato Augusto, Paulinho, Anderson Talisca, Alan Kardec, Miranda, Alex Teixeira...

Alguns deles certamente teriam mercado na Europa, como Talisca, que já recebeu proposta milionária do Manchester United. Ou seja, ainda que eles não consigam voltar para a China, dificilmente ficariam por aqui. Mas outros como Renato Augusto, Alan Kardec e Miranda foram recentemente especulados por times grandes do Brasil.

Se há brasileiros por aqui, também existem outros que conseguiram desembarcar na China antes do fechamento das fronteiras. Casos de Ricardo Goulart, Elkeson e Aloiísio Boi Bandido, todos do Guangzhou Evergrande; Hulk, do Shanghai SIPG, e Moisés, do mesmo time de Roger Guedes, o Shandong Luneng.

Leia também