Roger diz que ‘bola pune’ e avalia erros de jovens do Fluminense: 'Em algum momento eles podem sentir'

·3 minuto de leitura


Derrotado pelo Junior Barranquilla (COL) por 2 a 1, o Fluminense perdeu a oportunidade de garantir a classificação antecipada às oitavas de final da Libertadores e terá que fazê-lo contra o River Plate, na Argentina. Após a partida, o técnico Roger Machado classificou o jogo como complicado e afirmou que as chances claras perdidas complicaram a vida do Tricolor no Maracanã, nesta quinta-feira.

> ATUAÇÕES: meio campo vai mal, time não acerta marcação e Fluminense perde em casa para o Junior Barranquilla

- Foi um bom primeiro tempo, mas, é o que eu digo aos atletas, a bola pune. As oportunidades que tivemos no começo da partida para sair na frente não conseguimos transformar em gols. Foram grandes chances. E o adversário na bola parada, que treinamos muito, não encurtamos no rebote para impedir a bola na área. No segundo gol foi uma transição quando o Kayky perdeu a bola no meio - analisou.

- Não vi sentirmos tanto emocionalmente. Nos mantivemos na partida, tanto que conseguimos o gol e equilibramos as formas. Jogamos contra uma grande equipe que explorou a velocidade. Uma partida física e, aí sim, nisso nossos jogadores mais técnicos acabaram sentindo. Falei no intervalo que precisávamos nos adaptar ao jogo. Preciso que tenha essa adaptação para fazer o que o jogo demanda. Um time rápido, forte e potente que nos surpreendeu na transição - completou.

Veja como está a tabela da Libertadores

As duas melhores oportunidades perdidas pelo Flu saíram dos pés de Kayky e Luiz Henrique, dois dos mais jovens em campo pela equipe. Roger admitiu que a falta de experiência pode pesar em partidas com este nível de pressão, mas preferiu não culpar as crias de Xerém pelo revés dentro de casa.

- Excesso de confiança não. Felizmente ou infelizmente a bola caiu nos nossos jogadores jovens. Em algum momento eles podem sentir. Faz parte do jogo. Na sequência o Fred errou de frente para o gol aberto. Criamos e não concluímos. Criamos no primeiro tempo como em outros momentos não havíamos feito. Confiança eles (Kayky e Luiz Henrique) têm porque se colocam na condição de finalizar. O que acontece é que em alguns momentos a tomada de decisão pela pouca idade não será a mesma do Fred e do Nene. Faz parte do processo. Mesmo assim, os mais experientes também erram. Não posso colocar na conta dos meninos não termos feito os gols porque outros fatores também influenciaram - afirmou.

Agora o Fluminense volta novamente suas atenções para a final do Campeonato Carioca. No próximo sábado, o Tricolor faz a segunda partida da decisão diante do Flamengo, às 21h05, no Maracanã. A ida foi 1 a 1. Já na Libertadores, o Tricolor encerra a fase de grupos fora de casa contra o River Plate (ARG), na terça-feira, às 19h15.

- A derrota atrapalha em nada o nosso planejamento porque não podemos permitir que atrapalhe. Foi um revés em uma competição muito dura. Embora seja em casa e quiséssemos classificar hoje, é uma competição complicada. Assim como tivemos pontos fora, nada impediria o adversário de conquistar esses três pontos. É ter a cabeça boa, saber onde errou, evoluir e virar a chave. Sábado tem decisão, que está aberta e depois disso voltamos a pensar na Libertadores - completou.

Roger Machado
Roger Machado

Roger, durante a partida (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos