Rogério Ceni completa um mês como treinador do São Paulo; veja números do treinador desde que assumiu

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Neste sábado (13), o treinador Rogério Ceni completa um mês desde que voltou ao cargo de treinador do São Paulo, em sua segunda passagem. Em seu primeiro mês, o técnico comandou a equipe em seis partidas e teve altos e baixos em seu trabalho.


CONFIRA A TABELA ATUALIZADA E SIMULE OS JOGOS DO BRASILEIRÃO DE 2021!

No dia 13 de outubro, Ceni assumiu de maneira rápida, poucas horas após o anúncio do término do contrato entre Hernán Crespo e São Paulo. No mesmo dia em que assumiu, minutos depois do anúncio, o treinador já deu seu primeiro treino com a equipe, utilizando o Morumbi devido ao sistema de iluminação para uma sessão de treinamento noturno.

No dia seguinte, o time enfrentou o Ceará, no Morumbi e saiu atrás ainda no primeiro tempo. Entretanto, o time mostrou volume de jogo, criou chances de gol e conquistou o empate na segunda etapa, com Jonathan Calleri.

Logo em sua segunda partida, um jogo muito importante. Ceni comandou o Tricolor em um clássico diante do Corinthians e saiu com a vitória por 1 a 0, no Morumbi, novamente com gol de Calleri.

A primeira derrota veio no jogo diante do Red Bull Bragantino, fora de casa, quando perdeu por 1 a 0, com gol de Luan Cândido. Na sequência, venceu o Internacional no Morumbi, por 1 a 0, com gol de Gabriel Sara.

Depois, o time jogou duas partidas fora de casa, sendo derrotado pelo Bahia por 1 a 0, gol anotado por Rossi, e empatando por 1 a 1 com o Fortaleza, nos minutos finais, com belo gol de falta marcado por Benítez.

Ao todo, em seis partidas, foram duas vitórias, duas derrotas e dois empates. Com Ceni, o Tricolor sofreu poucos gols, apenas quatro em seis jogos, média de 0,67 por jogo. Em compensação, o time marcou poucos gols, também quatro, mantendo a mesma média.

Em suas partidas, Ceni oscilou a formação. Nas três primeiras partidas, o técnico usou um 4-4-2 e, no restante, um 3-5-2. Com ambos os esquemas, o time somou uma vitória, um empate e uma derrota.

O maior trunfo, entretanto, foi a utilização e a recuperação de jogadores revelados em Cotia, como Gabriel Sara e Igor Gomes que, atuando no meio de campo de Ceni, subiram de produção, principalmente quando o treinador optou pelo 4-4-2, montando um losango com Liziero, Gabriel Sara, Igor Gomes e Rodrigo Nestor ou Benítez. O sistema permitiu maior criação, além de ser capaz de reforçar a intensidade no meio, que sofreu a perda de Luan, principal marcador no setor.

No ataque, Ceni usou as seguintes duplas: Calleri e Luciano (duas vezes); Rigoni e Luciano (duas vezes); Rigoni e Calleri (uma vez) e Pablo e Luciano (uma vez). Luciano foi o que mais atuou como titular, jogando cinco vezes. Entretanto, o camisa 11 não desfalcou a equipe no período, ao contrário de Rigoni e Calleri, que ficaram afastados por contusões em períodos distintos e, ainda, uma partida simultânea, contra o Red Bull Bragantino, onde Pablo foi o substituto.

Iniciando o segundo mês de sua segunda passagem como treinador do São Paulo, Ceni tem um desafio pela frente. No próximo domingo (14), o time enfrenta o Flamengo, no Morumbi, às 16h, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida marca o reencontro do técnico com seu ex-time.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos