Rogério Caboclo é acusado na Comissão de Ética de cometer assédio moral contra diretor da CBF

·1 minuto de leitura


A Comissão de Ética da CBF recebeu uma nova denúncia formal contra Rogério Caboclo. Segundo o "GE", o diretor de Tecnologia da Informação, Fernando França, queixou-se de assédio moral cometido pelo presidente afastado da entidade. O documento foi enviado ao órgão pelo diretor na última terça-feira.

O dirigente diz que Rogério Caboclo teve "condutas ilícitas e repugnantes" e pediu a abertura de um novo processo contra o presidente afastado. Caboclo está afastado desde 6 de junho pela Comissão de Ética. O afastamento de 30 dias aconteceu após uma funcionária acusá-lo de cometer assédio moral e sexual.

Na sua denúncia, França afirma que ""foi injuriado, difamado e sofreu agressões ameaçadoras, o que, sem dúvida, caracteriza abuso de poder e afronta ao princípio da moralidade". A ação do dirigente foi noticiada inicialmente pelo Blog do Ancelmo Gois, em "O Globo".

O diretor de Tecnologia de Informação da CBF aponta que um dos episódios veio do dia 21 de abril, no qual, aponta o documento original: "O denunciante sofreu verdadeiro massacre moral".

Caboclo exigiu providências em relação à acusação de assédio moral e sexual do qual era alvo. De acordo com o documento, "insatisfeito pelos esclarecimentos prestados pelo denunciante, o acusado perdeu completamente o controle e passou a declarar que o denunciante se tratava de um incompetente amador e primário". O diretor de TI diz que tudo ocorreu na presença de uma testemunha, que deve depor em breve.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos