Rodrigo Dantas, QB do JP Espectros, revela motivação especial para enfrentar o Galo FA

Foto (Anderson Silva/João Pessoa Espectros) - Rodrigo Dantas é um dos grandes destaques do João Pessoa Espectros


O João Pessoa Espectro pode chegar à sétima final nacional da sua história. Atual campeão da competição, o time paraibano tem o Galo FA pela frente na próxima quarta-feira (2/11), a partir das 18h, no Centro de Treinamento Esportivo da UFMG, em Belo Horizonte. E, para ter a chance de defender o título novamente, a equipe rubro-negra vai precisar contar muito com o quarterback Rodrigo Dantas.

Um dos jogadores mais identificados com o João Pessoa Espectros, Rodrigo Dantas tem uma história de superação contra o adversário. No Brasil Bowl de 2018, o quarterback sofreu uma grave lesão no joelho no último lance da derrota para o Galo FA. Apesar da contusão, Rodrigo Dantas revela que a perda do título foi ainda mais marcante para ele.

“Acredito que mais pelo resultado da partida do que pela lesão que eu sofri. O Galo FA nos tirou uma segunda vitória de título brasileiro em casa e agora está no nosso caminho para a chance de disputarmos mais uma final em João Pessoa. Então, isso por si só é motivação suficiente para o João Pessoa Espectros”, afirma.

O confronto entre dois dos times mais fortes do Brasil está se tornando rotina nas fases decisivas do FABR. Se em 2017 e 2018, o Galo FA levou o título, no ano seguinte o João Pessoa Espectros derrotou o adversário na semifinal e conquistou o bicampeonato da Liga BFA diante do T-Rex.

“Esse é um confronto que tem criado uma rivalidade pela importância das partidas, sempre em playoffs nacionais. Mas estamos nos preparando muito bem para vencer e trazer a final para João Pessoa”, comenta.

Apesar da vitória em 2019, Rodrigo Dantas não atuou naquela ocasião, já que ainda se recuperava da lesão sofrida no ano anterior.
Adversidades e análise sobre o confronto com Marco Aguinaga
Além de superar um elenco que conta com grandes nomes do futebol americano nacional, o João Pessoa Espectros precisa superar também uma viagem longa da capital paraibana até Belo Horizonte. Mas o experiente quarterback acredita que a logística feita pelo clube dará todas as condições para os atletas atuarem em plenas condições.

“Uma viagem dessa distância é sempre complicada para qualquer time do FABR. Apesar disso, somos privilegiados de ter uma diretoria muito competente. Além disso, a torcida nos ajuda muito nesses momentos e também contamos com apoio do governo do estado que vai viabilizar as passagens. Dessa forma, conseguimos concentrar mais nossa energia em se preparar para o jogo”, ressalta.

O duelo contra o Galo FA colocara frente a frente dois dos melhores quarterbacks em atividade no Brasil: o experiente Rodrigo Dantas, contra o norte-americano Marco Aguinaga. O QB alvinegro está fazendo grande temporada, mas Dantas acredita que a defesa dos Espectros vai dificultar ao máximo o trabalhar do atleta do time mineiro.

“Pelo que observamos, a defesa do Espectros será a mais forte que o Galo enfrentará até agora. E tenho confiança que a nossa defesa nos dará oportunidade de ter situações favoráveis para reduzir o ímpeto do ataque do Galo FA e fazer com que eles marquem menos pontos do que estão fazendo na competição”, analisa.

“A defesa do Espectros teve muitas oportunidades de enfrentar QBs de qualidade nas últimas temporadas, principalmente, os trazidos pelo Recife Mariners, inclusive com esse perfil de mobilidade e capacidade de fazer big plays como é o caso do Aguinaga. Acredito que essa experiência vai ser fundamental para conter o ataque do Galo, já que vai exigir um bom equilíbrio entre agressividade e paciência para colocar pressão sem entregar jogadas fáceis para o ataque deles”, completa.

Homenagem ao filho
Papai de primeira viagem, Rodrigo Dantas conseguiu homenagear o filho recém-nascido na final da Conferência Nordeste diante do Recife Mariners. Na ocasião, o quarterback até anotou um touchdown corrido, algo que não é rotina para ele em função das suas características no futebol americano.

Questionado se entrou em campo decidido a fazer a pontuação máxima do futebol americano, Rodrigo Dantas afirmou que foi uma oportunidade do jogo e enalteceu a participação dos companheiros, que improvisaram na comemoração e relembraram a homenagem feita pelo atacante Bebeto na Copa do Mundo de 1994.

“Realmente, eu tinha pensado em algumas formas de homenagear o meu filho, mas não esperava ter chance de fazer isso depois de um TD corrido, que é algo bem raro pelo meu estilo de jogo. A parte mais legal foi que os meus companheiros chegaram para comemorar comigo e iniciaram a comemoração ‘estilo Bebeto’ e foi uma satisfação enorme que esse momento tão importante foi abraçado pelo time dessa forma”, finaliza.