Rodrigo Calvozzo: Que venha a derrota da Seleção Brasileira

Ao que tudo indica o brasileiro vai aos poucos se lembrando de como é gostoso torcer para a Seleção. O que até pouco tempo era um momento de tortura e sofrimento, agora, sob o comando de Tite, a nação voltou a ter orgulho de até vestir a amarelinha pelas ruas.

Mais importante até do que colocar o Brasil no topo da tabela de classificação, o nosso treinador está conseguindo fazer com que tenhamos prazer de ver esse time jogar. Mesmo quando estava atrás do placar contra os uruguaios, não percebemos uma equipe afobada, muito menos querendo resolver as coisas de forma individual, como acontecia até pouco tempo atrás.

A moral de Tite anda tão elevada, que se o mesmo resolvesse se candidatar ao cargo de Presidente da República, não me arriscaria dizer que ele não seria um forte nome, diante de tamanha idolatria que ele vem conquistando.

Até o momento tudo são flores, mas acho que na verdade esse é o único perigo que essa equipe corre atualmente. Por mais que a comissão técnica tente colocar os pés dos jogadores no chão, e nitidamente percebemos isso, conviver o tempo todo com elogios e afagos tem seu lado traiçoeiro.

Não é que não deseje mais três pontos para o nosso time, mas reconheço que um tropeço, assim que a classificação estiver oficializada, não seria de todo ruim. Não tenho dúvidas de que se a derrota não vier, já já começarão as cobranças para que esse time supere essa ou aquela marca histórica. Que Tite ou algum jogador coloque seu nome entre os ídolos que tiveram êxitos com a Seleção. Repito, não estou "secando", mas um tropeço não seria uma tragédia.

Neymar - Brasil 27/03/2017


(Foto: NELSON ALMEIDA/AFP/Getty Images)

Chegar inteiro em uma Copa do Mundo, por exemplo, já é um enorme desafio, imagina ainda ter que se preocupar com esse ou aquele outro recorde? Penso que se a equipe tirar essa ideia de seu foco, a tendência é que as coisas fluam com ainda mais leveza.

Vale lembrar que a última boa sequência de jogos da nossa Seleção foi obtida exatamente por Dunga, que em sua primeira passagem, chegou a ter o terceiro melhor índice de aproveitamento da história. Porém, para quem não se lembra, quando cruzou o caminho da Holanda, na África do Sul, teve um inesquecível pesadelo e ficou de fora da Copa do Mundo de 2010.

Dani Alves Dunga 12102015 Brazil


Cena praticamente igual a registrada no último 26 de março (Foto: Leo Correa/MoWa Press/ Divulgação)

Seja em um amistoso ou em um jogo de poucas consequências nas Eliminatórias, penso que se essa derrota chegasse traria mais benefícios do que dor de cabeça. O próprio Tite já disse que começa a se preocupar com esse papo, porém nada pode fazer diante dessa situação.

Que este alívio venha, mas (pensando como torcedor) não precisa ser exatamente contra os paraguaios. Estamos virtualmente classificados para a Copa da Rússia e seria muito bom que se esse time, que nesta rodada volta a ter Neymar como o seu capitão, possa se resguardar e assim se tornar um desafiante ainda mais duro de ser batido dentro de campo.