Rodrigo Caio explica sucesso de Jesus e diz: 'Em alguns momentos eu queria xingar ele, de tanta exigência'


Desde janeiro de 2019 no Flamengo, Rodrigo Caio já estava no clube quando Jorge Jesus chegou ao Ninho do Urubu. O português transformou a equipe rubro-negra e a impulsionou para as conquistas do Brasileiro e da Libertadores no ano passado. Mas não sem antes o zagueiro querer "xingar ele, de tanta exigência, de tanta cobrança, de tanto que ele ficava na linha de quatro".

Em entrevista ao ídolo Zico através do "Canal Zico 10" (assista na íntegra aqui), Rodrigo Caio enalteceu as minuciosidades de Jesus e não escondeu o incômodo "positivo" com a maneira do técnico trabalhar, explicando brevemente os temperos para a receita do sucesso.

- Eu não conhecia (o Jorge Jesus). Já tinha visto algumas equipes dele, mas comecei a procurar informações na internet, com alguns jogadores que já tinham trabalhado com ele. E tive as melhores recomendações, que ele era um treinador top, que ele ia acrescentar muito para o nosso elenco. Por a gente já ter um elenco qualificado e ele pela forma rigorosa, pela forma detalhista, ele ia conseguir implementar sua forma de jogar, sua ideia de jogo, sua ideia disciplinar, que eu acho muito importante no grupo - disse Caio, emendando:

- Acho que essa é a diferença: quando um treinador consegue colocar primeiro a parte disciplinar, que já era muito boa, e consegue implementar de uma forma natural, que o grupo consegue aceitar, uma parte tática que ele consegue incrementar e todo mundo – mesmo em alguns momentos e eu falo isso com naturalidade – em alguns momentos eu queria xingar ele, de tanta exigência, de tanta cobrança, de tanto que ele ficava na linha de quatro… Nada tava certo, tudo nos mínimos detalhes. E a gente foi gostando disso, foi se desafiando em cima disso. Essa foi a diferença: ele conseguiu tirar de todos os jogadores, o máximo - completou o defensor de 26 anos.

Primeiro reforço da era Rodolfo Landim, Rodrigo Caio soma 63 partidas e cinco gols com a camisa do Flamengo, que o contratou por 5 milhões de euros (cerca de R$ 22 milhões, à época). Com vínculo até dezembro de 2023, o zagueiro já acumula seis taças pelo clube: as do Campeonato Carioca, Brasileiro, Libertadores, Supercopa do Brasil, Taça Guanabara e Recopa Sul-Americana.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também