Robinho se compara a Bolsonaro, diz que vítima pede R$ 3 milhões e revela apoio de Neymar

Extra
·3 minuto de leitura
Robinho e Santos: contrato suspenso
Robinho e Santos: contrato suspenso

Robinho, que teve contrato com o Santos suspenso, voltou a falar sobre o caso do estupo coletivo, em que foi condenado na Itália, em primeira instância. Para a Fox Sports, no sábado à noite, ele atacou a imprensa, se comparou ao presidente Jair Bolsonaro, contou que a vítima lhe pede indenização de R$ 3 milhões e disse que ganhou apoio de Neymar. O jogador do PSG já foi acusado de estupro, mas o caso foi encerrado, sem condenação. Neymar não quis comentar o apoio a Robinho.

"A imprensa colocou coisas deturpadas a meu respeito. Só que ninguém colocou que a menina pediu, no processo, R$ 3 milhões. Isso ninguém colocou", disse o atleta.

Mas, segundo matéria do site ge, exibida na manhã deste domingo, esse não é o valor da indenização pedida pela defesa e, sim, R$ 660 mil. A reportagem se baseou na setença que decretou que ela teria direito a receber cerca de R$ 400 mil como reparação por danos morais. O advogado de defesa também disse que desconhece qualquer pedido de dinheiro deito diretamente ao jogador.

Na mesma reportagem do Ge, veiculada na manhã deste domingo, Ricardo Falco, também condenado no mesmo processo, diz a Robinho: "Se ela fosse uma mina mais esperta, dois dias depois, ela teria dito: escuta, eu fiz alguns exames, Robinho, ou você me dá dinheiro ou eu vou procurar os jornais. Aí, eu diria que acabou. A mina fez os exames, acabou, entendeu?"

Para a Fox Sports, Robinho disse que sexo oral é comum quando as pessoas se relacionam e que não foi feito sem o consentimento da mulher: "Em uma relação entre homem e mulher tem sexo oral, a gente sabe. As pessoas são muito hipócritas. A gente sabe que tem jornalistas que saem com mulheres, que bebem, que usam drogas até, e que agora estão me atacando por isso".

O atacante afirmou que assim como o presidente, ele tem sido alvo de 'ataques sem provas'. Para o atacante, a imprensa brasileira prioriza notícias ruins:

"Estou me sentindo meio um Bolsonaro, está todo mundo me atacando (...). Na Turquia e na Itália não teve essa repercussão toda".

O atacante afirmou ainda que sua carreira poderia estar em um estágio pior se ele não fosse acusado de estupro na Itália. Isso porque ele contou que a partir do momento em que soube do processo, passou a tomar mais cuidado principalmente com sua vida fora de campo.

"Se não fosse o processo, talvez minha carreira estivesse pior, talvez eu não estivesse jogando bem como estou. Eu passei a me cuidar mais depois do que aconteceu".

Robinho revelou ainda que recebeu mensagens de apoio de Neymar, que teria se oferecido para ajudar e apoiar o ex-companheiro de Santos.

"Me mandou mensagem. Não é um fato difícil de acontecer. Aconteceu com Neymar. Me deu apoio, se disponibilizou a me ajudar com as pessoas que ajudaram na inocência dele. Isso é para ver que não é só comigo, acontece com outros", disse Robinho, se referindo ao caso Najila Trindade, no qual Neymar sofreu acusação parecida, mas, sem comprovações, o processo não seguiu em frente.

Procurada, a assessoria de impresa de Neymar disse que o jogador não se pronunciaria sobre o caso.