Roberto se irrita com pergunta sobre Morumbi: “Temos nosso estádio”

A entrevista coletiva dos presidentes de Corinthians e Ponte Preta, durante o Congresso Técnico da Federação Paulista de Futebol (FPF) na manhã desta segunda-feira transcorria em um tom amistoso até que o presidente da entidade, Reinaldo Carneiro Bastos, foi questionado se houve a possibilidade de se jogar as partidas da decisão no estádio do Morumbi, como ocorreu na histórica de 1977, algo que deixou indignado o mandatário alvinegro, Roberto de Andrade.

“Por que Morumbi?”, indagou o dirigente, claramente incomodado com o fato de o estádio de Itaquera ser deixado de lado pela pergunta. “Eu tenho estádio e é dez vezes melhor que o Morumbi. Acabamos de responder que vai ser um jogo em cada cidade. Falei ontem (domingo) que se alguém propusesse eu falaria não. Podia ser dois jogos em Itaquera, no nosso estádio, dois jogos em qualquer lugar, menos os dois jogos no Morumbi”, bradou Roberto.

A reação intempestiva do corintiano vai ao encontro da inimizade criada entre os clubes desde a gestão Andrés Sanchez. Em 2009, indignado com o fato de o Tricolor liberar apenas 5% da carga de ingressos para a torcida corintiana, o mandatário disse que nunca mais jogaria como mandante no Morumbi e impulsionou a ideia da construção de um estádio. Hoje, o Alvinegro tem sua própria casa, em Itaquera.

Enquanto a conversa teve um tom mais ameno, Roberto lembrou de forma lúdica da decisão de 1977, que teve suas três partidas disputadas na casa são-paulina. Posteriormente assegurando que isso só aconteceu porque o Timão ainda não tinha estádio, o corintiano classificou a conquista como uma das mais importantes da sua vida.

“É uma decisão depois de 40 anos, histórica. Eu, naquela época, tinha 17 anos, nunca tinha visto o Corinthians ser campeão. É muito representativo na minha vida. Logicamente que a Ponte não tem que ter lembrança mesmo, já que perdeu, mas pessoalmente é um motivo de bastante alegria, depois de 40 anos, reeditar a final”, concluiu Roberto.