Roberto Martínez é cotado para assumir a Seleção da Espanha

Roberto Martínez no jogo contra o Canadá pela Copa do Mundo. Foto: Maryam Majd ATPImages/Getty Images
Roberto Martínez no jogo contra o Canadá pela Copa do Mundo. Foto: Maryam Majd ATPImages/Getty Images

Roberto Martínez anunciou a sua saída após da Bélgica com a desclassificação da sua antiga equipe na fase de grupos da Copa do Mundo. O nome de Roberto passou a ganhar força na Seleção da Espanha principalmente com esse revés recente para o Marrocos nas oitavas de final do Mundial do Catar.

A emissora de rádio “Onda Cero” informou que Martínez é sério candidato a substituto de Luis Enrique. Esse veículo espanhol acrescentou que a “bagagem” no comando de uma seleção de alto nível e o conhecimento do futebol local pesam a favor do ex-técnico da Bélgica.

Leia também:

A RFEF (Real Federação Espanhola de Futebol) não confirmou nada oficialmente. O que há até o momento é a especulação de que Luis Enrique não segue no comando da Espanha. O próprio Luis concedeu entrevista coletiva após a derrota da “La Furia” e evitou comentários sobre o seu futuro.

“Meu contrato vai acabar, mas como sabem estou muito feliz com o time nacional, com a federação e com o presidente. Sempre tive suporte para continuar, mas preciso pensar no que é melhor para mim e para o time também. Claro que tudo vai influenciar”, disse.

O diretor da Seleção da Espanha, José Molina, dialogou com a imprensa em meio a esse momento instável da sua equipe e despistou esse assunto. "Não nos falamos, nem é a hora. Estamos desapontados. Nos próximos dias tomaremos decisões. Ele (Luis Enrique) fez um bom trabalho e veremos", garantiu.

CARREIRA

Roberto nasceu em 13 de julho de 1973 em Balaguer, na Espanha, e foi jogador de futebol de 1993 até 2007. Apesar do seu início na equipe do Balaguer, fez carreira no Reino Unido pelas equipes do Wigan, Walsall, Swansea City, Chester City, e Motherwell, da Escócia.

Martínez passou a ser treinador ainda em 2007, iniciou no próprio Swansea, depois rumou para o Wigan, Everton e dirigiu a Seleção da Bélgica de 2010 até 2022.