Roberto Dinamite teve passagem como treinador do Vasco. Veja como foi!

Dinamite conduziu Vasco na beira do campo em uma partida e meia (Foto: Reprodução / Rede Globo)


Além da euforia que proporcinou com seus gols e seu período como mandatário do Vasco, Roberto Dinamite escreveu uma página curiosa pelo clube. O eterno camisa 10 (que morreu no último domingo, dia 8, aos 68 anos) chegou a ocupar o posto de treinador da equipe.

+ A despedida de Roberto Dinamite: veja imagens do velório do ídolo do Vasco

No ano de 1990, as disputas do Campeonato Carioca e da Copa Libertadores levaram a equipe a conviver com um calendário exaustivo (com nove partidas em 17 dias). No dia 27 de abril, os vascaínos encaravam o Olimpia (PAR) em jogo decisivo em São Januário pela fase de grupos da competição continental. No decorrer da etapa inicial, o técnico Alcir Portella sentiu um mal-estar e teve de ser hospitalizado. Dinamite foi designado para "herdar" seu posto na sequência da partida.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Sob o comando do craque (que estava relacionado para o confronto, mas se recuperava de uma pancada), o Vasco assegurou a vitória por 1 a 0 sobre a equipe paraguaia. O gol do time da casa tinha sido marcado aos 22 minutos da etapa inicial, quando Bebeto fez bela jogada e abriu caminho para Sorato estufar a rede e definir a classificação para as oitavas de final da Libertadores.

+ Edmundo vai às lágrimas e é consolado durante velório de Roberto Dinamite


Dois dias depois, o Cruz-Maltino voltou a campo. Desta vez, a partida era válida pelo Campeonato Carioca e os vascaínos continuaram sob o comando de Roberto Dinamite, pois o técnico Alcir Portella seguia internado com diagnóstico de uma estafa.

O Vasco tinha de vencer o Bangu em Moça Bonita. O objetivo era garantir o ponto extra no triangular final do Estadual. Só que, em meio a desfalques e desgastes, a equipe viu a chance escapar.

Diante de um adversário empolgado, o ídolo cruz-maltino viu os banguenses abrirem vantagem com gols de Macula e Cláudio José. Bebeto ainda diminuiu o placar. Na reta final, os vascaínos ainda tiveram chances de igualar, mas não evitaram a derrota por 2 a 1, que fez com que o ponto extra ficasse nas mãos do Botafogo

Roberto Dinamite teve um comportamento bastante comedido em seus históricos 90 minutos como comandante cruz-maltino. Em entrevista a "O Globo" na época, o eterno camisa 10 disse que estava "apenas colaborando com o clube".

Em uma declaração divulgada no "Jornal dos Sports", Dinamite confessou que a experiência "serviu para que ele sentisse como é difícil dirigir uma equipe".

A dedicação e o jeito prestativo de Roberto Dinamite rendiam mais um momento curioso de sua relação com o Vasco.