Roberto Carlos relembra, em detalhes, o ‘Gol Impossível’: “Não era para fazer tanto efeito”

Além de ter colecionado títulos, boas atuações e cruzamentos certeiros, Roberto Carlos ficou conhecido pela potência do seu chute com a perna esquerda. O ex-jogador, que completa 44 anos nesta segunda-feira (10), anotou belíssimos gols vestindo as camisas de Palmeiras, Internazionale e Real Madrid. Mas o mais famoso de todos foi pela Seleção Brasileira... e dá o que falar até hoje!

Em 1997, Roberto acertou um chute de muito longe para vencer o goleiro Barthez, durante partida contra a França. O tento ficou conhecido como ‘O Gol Impossível’ e rendeu diversos estudos que explicavam a força e a trajetória da bola até o fundo das redes. Em entrevista, Roberto Carlos relembrou detalhes daquele golaço.

“O primeiro que fiz foi ajeitar a bola com a válvula [de ar], a parte mais dura, virada para mim. Depois, escutei o Dunga me falar ‘está muito longe para você’. E depois do jogo, o Zagallo me disse que tinha comentado no banco de reservas que, se eu fizesse o gol daquela distância, 35 metros, ele deixava o banco. Mas ele não deixou o banco porque era o treinador”, se diverte ao relembrar.

Dunga Roberto Carlos Brasil Seleção 1997 10 04 2017

Dunga e Roberto Carlos, durante o empate em 1 a 1 contra a França, em 1997 (Foto: Getty Images)

“Não era para fazer tanto efeito, não era para tudo aquilo, mas eu sabia que a bola ia na direção do gol. Naquela época eu já usava a chuteira muito apertada no meu pé, porque as minhas chuteiras eram feitas sobre medida. E disse: ‘vamos ver o que acontece’. E esse gol fez história”.

“É interessante, porque às vezes as pessoas fazem pesquisas, análises, mas não tem uma explicação. Eu, que chutei, não consigo explicar... como outra pessoa vai explicar o que a bola fez? É uma coisa do destino, um gol para jamais se esquecer”.

Atualmente treinador da equipe B do Real Madrid, Roberto relembrou também as conversas que teve com Zidane após o golaço e aproveitou para elogiar os talentos que o atual técnico merengue tinha quando calçava as chuteiras ao lado do brasileiro dentro do Santiago Bernabéu: “O Zidane ria e me dizia: ‘só você pode fazer coisas como essa’. E eu dizia ‘você também pode fazer’. Zidane é um fenômeno", concluiu.