Roberto de Andrade explica política 'pés no chão' para reforços e elogia elenco do Corinthians

LANCE!
·3 minuto de leitura


Na tarde desta terça-feira, os membros da novo diretoria de futebol do Corinthians concederam entrevista coletiva virtual e esclareceram alguns aspecto nessa chegada. Roberto de Andrade, ex-presidente e já velho conhecido no cargo de diretor de futebol, foi um dos apresentados do dia no CT Joaquim Grava e falou de sua expectativa para o mandato com Duílio.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

GALERIA
> Brasileirão-2020: Veja o prejuízo de cada clube com os portões fechados

Embora saiba das dificuldades que o Timão e outros clubes devem passar em 2021, ainda pelas consequências da pandemia de coronavírus, Roberto se mostrou otimista pelo que o Alvinegro pode conquistar no período, além de elogiar o elenco atual, que tem sido potencializado por Vagner Mancini.

- Em 2021, sabemos das grandes dificuldades que teremos. Melhor que 2020, mas com dificuldades. Expectativa é a melhor possível. Corinthians tem um elenco de bom nível, dá para brigarmos por todos os campeonatos que virão. Espero que em algum a gente consiga chegar ao título. É a esperança que a gente tem, o nosso desafio de trabalho é esse - disse, antes de completar:

- Agora, com Mancini, os jogadores são os mesmos mas tiveram assimilação maior. Grupo está se recuperando a cada jogo. Não posso concorda que o Corinthians não é temido. Corinthians é Corinthians. Se camisa entrar sozinha, rival vai tremer. Momentos bons e ruins, isso vai acontecer. Tem fase boa, melhor ainda e a fase mais ou menos. Estamos retomando o bom momento. Recuperação veio tardia pelo campeonato já estar andado.

Por essas e outras, o foco do Corinthians é uma vaga na Copa Libertadores, o que também vai facilitar o planejamento em termos de reforços e saídas. Quanto mais o elenco se fortalecer, mais fácil é a montagem dele para a temporada seguinte, que começa no fim de fevereiro.

- É possível chegar ao título, mas é difícil. Classificação direta à Libertadores é possível. Time está numa crescente. O futuro próximo ter menos trabalho, menos jogador para trazer. Uma ou duas peças para ganhar bastante em qualidade. O elenco é muito bem qualificado. Estamos aqui para trabalhar e tentar chegar no mais alto que conseguirmos.

Sobre reforços, na última segunda-feira, o presidente Duílio Monteiro Alves pregou uma política "pés no chão" para contratações. Ao ser questionado sobre o tema, Roberto de Andrade esclareceu que isso não quer dizer que o clube não trará reforços, mas sim evitará fazer loucuras com salários e valores de transferência. A ideia é ter responsabilidade com o caixa do Alvinegro.

- Quando o Duílio falou em pés no chão, eu também usei. Não quer dizer que vai ser zero contratação e deixar time largado. É não trazer o cara de um milhão por mês, agora, oportunidade de mercado, para deixar o time mais forte, isso sempre vai acontecer. R$ 1,5 milhão não vai dar para trazer. Mas tem outros mais baratos e com a mesma qualidade. Jogadores virão, mas sempre com responsabilidade. É uma bandeira do Duílio: responsabilidade com o caixa.

Roberto de Andrade iniciou seu trabalho na última segunda-feira, ao aceitar um convite de Duílio para comandar o departamento de futebol. Nos próximos dias, após reuniões com a comissão técnica, ele deve definir o futuro de algumas peças que voltam de empréstimo e têm contrato a vencer no elenco.