Rivais na Champions, Barcelona e PSG exploram produtos licenciados no mercado brasileiro

LANCE!
·3 minuto de leitura


Dentro de campo, Barcelona e Paris Saint-Germain duelam por uma vaga nas quartas de final da Champions League. Fora das quatro as linhas, os clubes enxergam o mercado brasileiro com diversas oportunidades para consolidação de suas marcas. Não só a venda de camisas oficiais, mas diversos outros produtos licenciados podem ser encontrados em lojas por todo o país.

VEJA A TABELA DA LIGA DOS CAMPEÕES

Por meio de seus patrocinadores, o clube espanhol busca globalizar sua marca por aqui com ações. Recentemente, a Gatorade anunciou uma promoção em seus produtos, com códigos de barra selecionados com diversos prêmios, desde camisas do clube até uma viagem para conhecer as instalações do Barcelona. Em outra ativação, a Centauro procurou o ex-zagueiro Edmilson para estrelar o lançamento de uma linha de produtos licenciados do clube no Brasil. Pelo lado do marketing, o especialista Marcelo Palaia avalia de forma positiva o uso de personagens históricos da equipe.

- Acredito que todas as ações que envolvem celebridades do esporte atingem um alcance maior e marcam o consumidor. A conexão com os ídolos brasileiros feita pelo Barcelona causa um impacto muito grande no mercado nacional. A estratégia é perfeita para o negócio, enxergo os clubes no caminho certo para expandirem as marcas por aqui’ - afirma o professor.

Já o clube francês, mantém uma aproximação com os torcedores brasileiros, devido a grande quantidade de atletas sul americanos que marcaram história recente no clube. Com a contratação do camisa 10 da Seleção brasileira, a instituição se consolidou no país. Em uma ação ousada, o clube lançou um programa para sócios-torcedores no Brasil, o ‘’MyParis Brasil’’ aproximava os fãs do clube, contava com um clube de vantagens e sorteios personalizados.

Outros gigantes também buscam realizar ações por aqui, o Bayern de Munique, por exemplo, promoveu uma sessão de treinamento em uma comunidade carente na zona oeste de São Paulo, o evento contou com diversos atletas que marcaram época no clube alemão. Além disso, a maior parte das equipes de elite da Europa já possuem redes sociais em português, angariando novos admiradores, e potencializando a vendas das marcas no Brasil.

Durante a última páscoa, Manchester City e Juventus com a Cacau Show e comercializam ovos de chocolate temáticos dos clubes. Voltada para o público infantil, a campanha atraiu o público mirim por oferecer uma mini bola oficial dos times. Em 2019, o Barcelona realizou uma campanha similar com a mesma empresa.

Os resultados dentro de campo influenciam o planejamento de vendas, mas os clubes cada vez mais concentram suas armas nas imagens de atletas, que se tornam ‘marcas’ conectadas com a instituição. As mídias sociais dos jogadores acabam se tornando aliados dos times nesta etapa.

- De uns anos pra cá, as redes sociais de grandes jogadores se tornaram uma fonte de captação muito rentável para os clubes. Não só na venda de camisas, mas com a exposição da imagem em regiões estratégicas. A qualidade dentro de campo é fundamental, mas já vimos jogadores que foram contratados para que as equipes pudessem expandir e se conectar com uma cultura diferente. Alguns atletas possuem a capacidade de mobilizar milhares de fãs do esporte, os times usam desse ativo para criar uma gama ainda maior e rentabilizar produtos e serviços - acrescenta Rene Salviano, ex-coordenador comercial e ex-diretor de marketing e de novos negócios do Cruzeiro, e há 20 anos transitando no marketing esportivo.