Richarlison se solidariza com vítimas de ataques a escolas do Espírito Santo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O atacante Richarlison, autor dos dois gols do Brasil na estreia da seleção na Copa do Mundo contra a Sérvia, usou as redes sociais para se solidarizar com as vítimas do ataque a duas escolas em Aracruz (ES), na sexta-feira (25), que provocaram a morte de três pessoas.

O camisa 9 da seleção brasileira publicou um texto sobre o caso neste sábado (26) sobre a violência.

"Minha solidariedade e tristeza pelo que aconteceu ontem no meu estado, em Aracruz. Professoras e uma criança morta. Coisa impossível de acreditar que ainda aconteça. Muita força e carinho pras famílias e amigos", escreveu.

Richarlison, que atualmente joga no Tottenham, na Inglaterra, é capixaba. O jogador nasceu em Nova Venécia, a cerca de 180 km de distância da capital Vitória.

Na sexta, ataques a tiros em duas escolas, uma pública e uma particular, em Aracruz deixaram três mortos e 11 feridos. Quatro dos feridos, entre eles uma criança, estão internados em estado grave.

Um ex-aluno de 16 anos, transferido em junho da escola estadual e filho de policial militar, foi apreendido como suspeito de cometer o crime. Materiais com a suástica, símbolo nazista, foram recolhidos em sua casa.

Os ataques foram registrados nas escolas Primo Bitti e Centro Educacional Praia de Coqueiral, próximas uma da outra, no município de 104 mil habitantes no interior capixaba.

A ação começou pela escola pública Primo Bitti, onde duas pessoas morreram e outras nove foram atingidas por disparos, de acordo com o secretário da Segurança Pública e da Defesa Social do Espírito Santo, Marcio Celante.

O atirador entrou no local por volta das 9h, após arrombar um cadeado. A ação ocorreu dentro da sala dos professores. As docentes Cybelle Passos Bezerra Lara, 45, e Maria da Penha Pereira, 48, morreram.

Depois do ataque inicial, ele se deslocou de carro para o Centro Educacional Praia de Coqueiral, que é particular e fica na mesma avenida, a cerca de um quilômetro de distância. No local, o adolescente fez mais três vítimas, todas estudantes. Uma delas morreu.

Richarlison é bastante ativo nas redes sociais. Em 24 horas, depois dos gols de quinta-feira na estreia do Brasil, o atacante ganhou 4 milhões de novos seguidores no Instagram, um aumento de 52,49%, de acordo com dados da plataforma Buzzmonitor e Socialblade. De 7,6 milhões para 11,6 milhões.

Após o jogo contra a Sérvia, uma das histórias que chamaram a atenção foi a ajuda que ele deu para pagar a cirurgia de um homem com doença de Parkinson, no ano de 2017.

Na época, o atacante ofereceu doar uma camisa autografada para ser sorteada e assim ajudar a arrecadar o valor para a operação. No Twitter, Laryssa, dona de uma página dedicada para a cantora e atriz Anahi, relembrou a história e mostrou prints da conversa com o capixaba.

Richalison ajuda financeiramente o Instituto Padre Roberto Lettieri, instituição para abrigo de crianças e adultos que fazem tratamento contra o câncer em Barretos (a 423 km de São Paulo). Também já doou uma chuteira para ser leiloada e ajudar nas pesquisas científicas da USP (Universidade de São Paulo) no combate à Covid-19.