Ricciardo assume que sabia de punição "há dias" e diz que já digeriu situação: "Agora posso rir disso"

FELIPE NORONHA
Grande Prêmio

.embed-container {position:relative;padding-bottom:56.25%;height:0;overflow:hidden;max-width:100%;}.embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed {position:absolute;top:0;left:0;width:100%;height:100%;}


Daniel Ricciardo teve anunciada na manhã desta sexta-feira (9) uma punição por troca do turbo de sua Red Bull. Desta forma, perderá cinco posições no grid de largada do GP do Brasil do próximo domingo. Mas ele já está tranquilo com essa situação.

Foi o que o australiano revelou em entrevista no paddock de Interlagos logo após a segunda sessão de treinos livres desta sexta, acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO

Segundo Ricciardo, já deu tempo para que mais esse problema fosse "digerido": "Acho que vai ficar tudo bem."

"Foi um bom dia, na verdade. Saí dos boxes cedo para diminuir a punição. O primeiro a sair ganha uma punição menor, se outros tomarem a mesma punição. Eu já sabia desde semana passada que levaria essa de cinco posições, eu sabia que haviam danos após o que houve na corrida no México."

Daniel Ricciardo (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

"Eu tive alguns dias para digerir isso, cheguei hoje já sabendo, não foi surpresa. Mas o dia foi bom. Pela tarde progredimos em relação a manhã. Claro que começaremos a corrida fora da parte da frente, mas tentarei buscar rapidamente para poder me divertir na corrida", completou.

Ricciardo também se mostrou feliz com o ritmo da Red Bull, tal como com os pneus - ele ficou em quarto na primeira sessão livre, para em seguida repetir a posição no segundo treino

"Claro que a punição não ajuda, mas acho que o ritmo é bom. Fizemos melhorias no carro pela manhã, não fomos tão mal, mas claro que queremos ir um pouco mais rápido. Acho que demos um passo à frente pela tarde, acredito que falta um pouco ainda, mas nosso ritmo é decente, então vamos ver."

Daniel Ricciardo (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

"Os três tipos de pneus não parecem estar mal. De memória, digo que o médio não foi mal. Vamos ver quais são as melhores opções largando do fundo do grid. Acho que foi interessante o fato de que os três tipos de pneus funcionaram bem, mesmo nas saídas mais longas", continuou.

Por fim, já pensa na estratégia para domingo: "(Os pneus parecerem bem) Nos dá opções para largar com algo diferente dos que os cinco carros que estarão na frente. Como devo começar longe deles, na minha cabeça quero começar com algo diferente para aumentar minhas chances", finalizou o #3.

 O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.

Leia também