Ricciardo afirma que 2020 foi sua temporada de F1 mais divertida desde 2016

Adam Cooper
·3 minuto de leitura

O piloto da Renault, Daniel Ricciardo, disse que a temporada de Fórmula 1 deste ano foi a mais divertida para ele desde 2016, quando terminou em terceiro no campeonato mundial com a Red Bull.

Seus últimos dois anos com a RBR foram menos felizes - particularmente 2018, quando ele tomou a decisão de assinar pela Renault - e sua primeira temporada no time de Enstone, em 2019, foi marcada por um carro geralmente não competitivo.

Leia também:

Sainz: pré-temporada de três dias dificultará trabalho de pilotos em equipes novas Hamilton prioriza 'tempo em casa' e menos viagens em novo contrato com Mercedes Vettel não se vê na F1 além dos 40 anos: "Tenho de três a sete anos restantes"

No entanto, em 2020, Ricciardo tem marcado pontos consistentemente, conquistando dois terceiros lugares, e atualmente está em sexto lugar na classificação. “Eu provavelmente terei que olhar para trás quando estiver concluído”, disse ele quando questionado se 2020 foi seu ano mais gratificante desde 2016.

“Mas eu acho que até agora, sim. Quer dizer, tenho me divertido muito até aqui, estou amando correr e acho que isso também aumentou com o tipo de isolamento e falta de competição por mais tempo fora da temporada”.

“Então, eu acho que meu desejo de voltar tornou-se obviamente muito mais forte”.

“E sim, tem sido legal, você provavelmente está certo. 2016 foi um ano muito bom, eu me lembro com a Red Bull, então este é provavelmente o melhor, ou o mais satisfatório, desde então”.

Ricciardo impressionou a Renault em 2020, tendo se comprometido a se mudar para a McLaren antes da primeira corrida.

Resumindo sua temporada, ele disse: “É o que você faz, eu acho. Não acho que qualquer ano seja fácil, mas também é o que você faz com ele, o quanto você investe em si mesmo”.

“Mesmo se você vencer todas as corridas, às vezes pode ser difícil para você. Depende de quão alto você definir a barra”.

“Acho que o último ano [2018] na Red Bull foi emocionalmente o mais difícil, porque no início do ano parecia que talvez eu estivesse disputando um campeonato mundial, e então no meio do ano percebi que queria seguir em frente, e no final do ano foi abandono após abandono”.

“Então, houve muitas emoções naquele ano, então até hoje eu acho que foi o ano mais difícil para mim emocionalmente e como isso me tocou um pouco. No ano passado ainda foi divertido, embora não tenhamos realmente obtido os resultados que buscávamos, ainda foi divertido tentar construir com uma nova equipe”.

“Este ano foi definitivamente mais divertido, porque aquela construção apresentou alguns resultados realmente bons”.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1, MotoGP e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Entenda como Racing Point deixou de ser apenas a ‘Mercedes rosa'

Podcast #076 – Hamilton x Schumacher: a comparação entre os campeões da F1

Your browser does not support the audio element.