Ricardo Sá Pinto destaca postura do Vasco e diz: 'O empate seria mais justo dentro do que aconteceu no jogo'

LANCE!
·2 minuto de leitura


Com a derrota para o Palmeiras por 1 a 0, o Vasco soma nove rodadas sem vencer e voltou a figurar na zona de rebaixamento do Brasileirão. Diante desse cenário, Ricardo Sá Pinto, em entrevista coletiva, analisou o comportamento da equipe em São Januário e lamentou o lance do pênalti, que originou o gol da vitória do adversário.

- Foi o que aconteceu, uma infelicidade, temos de ter mais calma nesse tipo de lance, temos de ser mais maduros, mais experientes, porque esse tipo de detalhe pode nos custar um resultado como custou hoje. Agora, nunca o Vasco hoje seria derrotado numa situação normal. O empate seria mais justo dentro do que aconteceu no jogo. Temos de ser humildes e aceitar que o Palmeiras, individualmente, é melhor do que nós, luta por outros objetivos. Estamos em fase de construção e jogamos contra uma boa equipe. Penso que a equipe (do Vasco) acabará por ser recompensada - salientou.

Sem vencer há nove rodadas, o Gigante da Colina necessita reencontrar o caminho das vitórias. Apesar de ter dois jogos a menos que seus adversários, Sá Pinto ligou o sinal de alerta e sabe que o time pode render mais, sobretudo na parte ofensiva. Defensivamente, o Vasco está mais seguro, porém pecou muito nos passes e nas transições ofensivas para levar mais perigo ao gol adversário.

- A equipe tinha uma estratégia de parar a equipe do Palmeiras, que vinha em um grande momento, tem jogadores de muitas nacionalidades e muita qualidade. E nós estamos construindo uma equipe. Teríamos de tirar os espaços para não sermos surpreendidos nas costas. A primeira parte acho que foi muito boa, a segunda parte, eles arriscaram mais abrindo a equipe. Começaram a entrar nos corredores, tivemos mais finalizações, oportunidades iguais. Tapamos todos os buracos. Só entraram em bolas longas e cruzamentos na área - disse.

- Logicamente, todas as equipes para estarem bem precisam ganhar. Eu sei que vamos chegar a uma situação confortável, mas há um caminho a fazer. A equipe trabalhou, foi organizada, lutou, temos de trabalhar melhor as transições ofensivas, não perder tantas oportunidades e fazer mal ao adversário como fazem a nós. Não é em duas semanas e meia, três, que vamos construir equipe. Com trabalho, a equipe vai chegar lá. Já não sofremos tantas oportunidades quanto antes, já não sofremos tantos gols quanto sofríamos. Vamos continuar trabalhando nisso - analisou.

Na próxima rodada, o Vasco volta a campo no dia 14, sábado, às 16h30, diante do Sport, na Ilha do Retiro. No dia 26, o time terá pela frente o Defensa y Justicia e o primeiro jogo da decisão será na Argentina, no estádio Norberto Tito Tomaghello, em Florencio Varela, município localizado na província de Buenos Aires, às 21h30 (de Brasília).