Ricardo Oliveira fala de oferta da Série A, carinho por ex-clubes, dívidas...

·2 minuto de leitura
Ricardo Oliveira deixou o Coritiba em 31 de maio e cobra na Justiça três meses de salários atrasados (Divulgação/Coritiba)
Ricardo Oliveira deixou o Coritiba em 31 de maio e cobra na Justiça três meses de salários atrasados (Divulgação/Coritiba)

A primeira entrevista de Ricardo Oliveira depois de deixar o Coritiba foi forte. O atacante, de 41 anos, falou com exclusividade a esse blogueiro e se posicionou sobre vários temas, como a chateação com Coxa e Atlético-MG, o carinho com São Paulo, Santos e Portuguesa, os quase acertos com Palmeiras e Grêmio, e o fato de ter torcido pelo Corinthians na infância.

Ricardo Oliveira ainda admitiu que está perto de se acertar com um time da Série A. "Tenho algumas propostas de times brasileiros e devo acertar logo. Não penso em me aposentar por agora. Quero chegar aos 400 gols", avisa o centroavante, que está a 14 gols da marca.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Só o nome do clube não pode ser revelado! Mas o ex-jogador da seleção fala abertamente das frustradas passagens por Atlético-MG e Coritiba. No Galo, ele não gostou da forma como foi tratado. Em 2019, o presidente Sérgio Sette Câmara lhe pediu que ficasse no clube. Mas, em 2020, nem o comunicou que estava fora dos planos.

No Coritiba, a coisa se repetiu. E, nos dois casos, existem dívidas salariais e por consequência processos na Justiça. "Até por tudo isso, estou pensando bem com minha família antes de decidir o próximo passo da carreira", explica Ricardo Oliveira, que tem mantido a forma física com treinos num campo e em sua academia particular.

Revelado na Portuguesa, o goleador admite o sonho de encerrar a carreira no Canindé, ainda que não seja por agora! Ele foi procurado pelo presidente do clube, Antônio Carlos Castanheira, para acertar uma dívida de quase 20 anos. "Foi o primeiro presidente da Portuguesa que me chamou para uma conversa durante todo esse tempo".

Se as lembranças em Curitiba e Belo Horizonte não são as melhores, Ricardo Oliveira se enche de orgulho ao citar os tempos de São Paulo e Santos. "Fui muito feliz nos dois clubes e só tenho gratidão", afirma o atacante, confirmando ainda que era corintiano na infância. "Toda a família torcia pelo Corinthians e meu ídolo era o Viola".

Prestes a lançar um livro que conta sobre a sua carreira, Ricardo Oliveira também diz que quase fechou com Palmeiras e Grêmio. "Em 2015, o Oswaldo de Oliveira ligou pra dizer que gostaria de me contratar e fechar também com o Zé Roberto. Mas o Santos apareceu primeiro. Já o interesse do Grêmio surgiu mais pra frente."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos