Revoltado, Jacaré garante que não assistirá Bisping x GSP: "Quero nocaute duplo"

Jacaré enfrentará Robert Whittaker em abril - Diego Ribas

Ronaldo ‘Jacaré’ está revoltado. Um dos principais nomes da divisão dos médios (84 kg), o brasileiro cansou de esperar por uma chance pelo cinturão de sua categoria e resolveu mais uma vez soltar os cachorros contra a organização do maior torneio de MMA do mundo. Em conversa com a imprensa na última quinta-feira (16), o manauara deixou claro que sua paciência acabou.

Jacaré iniciou a entrevista justificando o motivo pelo qual enfrentará Robert Whittaker no UFC on Fox 24, marcado para o dia 15 de abril. De acordo com o brasileiro, ele tentou várias outras alternativas antes de finalmente o concederem o australiano para lutar.

“O que o Dana White fala não se escreve, né? Mas ele disse que o próximo desafiante seria o [Yoel] Romero. A realidade é que o dançarino danço, o cantor canta e eu sou lutador e tenho que lutar. Eu pedi pelo [Luke] Rockhold, mas o UFC disse que ele estava amarelando. Eu falei então para me darem o Romero, mas disseram que ele esperaria o cinturão. Isso foi bem estranho, porque assim que marcaram minha luta o Romero pediu o Anderson [Silva] pelo cinturão interino. O [Michael] Bisping não morreu, ele vai lutar daqui a pouco. Se é certo ou errado o problema é dele. O Bisping até falou que era desespero e eu tenho que concordar com esse frouxo”, afirmou o atual número 3 do ranking.

Jacaré não escondeu a sua revolta por ver Georges St-Pierre furar a fila e ir direto para a disputa de cinturão dos médios, sendo que o canadense é ex-campeão dos meio-médios (77 kg). Segundo o manauara, ele sequer assistirá o encontre entre GSP e Bisping.

“Quero que eles sofram um nocaute duplo. Quero que eles vão se ferrar. Não estou nem aí para essa luta. Não vou nem assistir essa porcaria”, sintetizou.

“Está acontecendo de tudo no UFC. O que me chateia não é o fato de o Georges St-Pierre lutar nos 84 kg, mas ele nunca lutou nesse peso. Sempre arregou para o Anderson e disse que era pequeno, todos sabem disso. Se ele quisesse, legal. Então vem lutar comigo”, concluiu o lutador.

O manauara também chegou a sugerir que o término de sua carreira pode acontecer a qualquer momento, caso ele queira. Jacaré ameaçou pendurar as luvas se continuar sendo passado para trás por outros atletas que julga serem menos merecedores do que ele.

“Não tenho problema nenhum em parar de lutar. Em 2005 eu parei no auge da carreira o jiu-jitsu. Se eu achar que está me enchendo o saco, eu boto a minha viola no saco e pronto. Posso abrir uma academia e praticamente ganhar o mesmo que ganho hoje. Não tenho problema nenhum em parar de lutar. Não passa pela minha cabeça isso, mas se estiver enchendo o saco eu paro de lutar”, finalizou.