Revezamento da tocha olímpica terá espectadores, mas torcer será proibido

·2 minuto de leitura
Tocha olímpica terá revezamento com espectadores

Os espectadores poderão se alinhar ao longo do trajeto de passagem da tocha olímpica, quando seu revezamento começar no Japão, no mês que vem, mas torcer será proibido - disseram os organizadores nesta quinta-feira (25).

O revezamento da tocha foi cancelado dias antes de seu lançamento no ano passado, quando se decidiu adiar Tóquio-2020 por um ano, devido à pandemia da covid-19.

Leia também:

Apesar das preocupações com a segurança dos Jogos no próximo verão, os organizadores afirmam que eles poderão ser realizados e que o revezamento da tocha será lançado em 25 de março, como previsto.

"A situação da infecção varia de uma região para outra. Temos que levar isso em consideração, e será muito importante aplicar uma abordagem meticulosa", disse à imprensa a presidente da edição Tóquio-2020, Seiko Hashimoto.

"Queremos que as pessoas de cada região entendam isso e conectar todo país sob o conceito de revezamento da tocha 'A esperança ilumina nosso caminho'", acrescentou.

O revezamento partirá de um local simbólico em Fukushima, destacando o papel de Tóquio-2020 como os "Jogos Olímpicos de Reconstrução", uma homenagem dez anos depois do terremoto, do tsunami e do desastre nuclear de 2011 no nordeste do Japão.

O evento será muito mais sóbrio do que de costume. Os espectadores poderão ver a passagem da tocha, mas terão de usar máscara, evitar a multidão e se limitar a assistir aos trechos do percurso que ficam perto de casa.

"Devem apoiar com aplausos, ou usando coisas que vão ser distribuídas, mas não gritando, ou torcendo", segundo as normas estabelecidas, que também obrigam que se mantenha distância social.

A presença em determinados pontos será possível apenas com reserva. As informações sobre os portadores da tocha serão comunicadas no último momento, acrescentam os organizadores.

"Não estamos tentando desencorajar as pessoas", mas "o mais importante é evitar ter áreas abarrotadas", explicou o diretor-executivo do revezamento da tocha, Teruhiko Okada.

Os portadores da tocha poderão correr sem máscara, desde que mantenham uma distância suficiente dos demais.

Os corredores e o pessoal que participa do revezamento passarão por exames médicos precisos duas semanas antes de sua participação e deverão evitar atividades de risco, como comer em restaurantes e ir a lugares cheios.