Revanche? Relembre como foi o clima no Brasil x Alemanha da final dos Jogos Olímpicos do Rio

·3 minuto de leitura


Muita coisa mudou de 2016 para cá. Foram três presidentes no período de cinco anos, rompimento na relação entre Neymar e Bruna Marquezine e uma espécie de vingança sobre os alemães. A Olimpíada do Rio de Janeiro marcou a conquista do ouro inédito da Seleção Brasileira no futebol masculino diante da Alemanha, carrasca do Brasil na pior e mais fatídica derrota em Copas do Mundo.
+ Confira quem o Brasil enfrenta na fase de grupos da Olimpíada

Dois anos depois de seu maior vexame, a Seleção conquistou o título que lhe faltava diante do algoz da Copa do Mundo de 2014. Depois de empate em 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, Weverton foi heroico nos pênaltis (5 a 4) e garantiu a vitória que representou não só uma revanche, mas uma conquista histórica e o fim de uma espera de décadas

TROCA DE PRESIDENTES

Em 2016, Dilma Roussef sofria o processo de impeachment - ação que perdurou entre o final de 2015 e 31 de agosto de 2016. A presidente afastada não compareceu à abertura da Olimpíada do Rio de Janeiro. Vaiado, o interino Michel Temer representou o Brasil no evento. Para os Jogos Olímpicos de Tóquio, Jair Messias Bolsonaro é quem comanda a principal cadeira política do país.

RELAÇÃO ENTRE NEYMAR E BRUNA MARQUEZINE

Talvez o relacionamento mais recente e marcante que envolveu jogadores brasileiros, o namoro entre Neymar e Bruna Marquezine ainda agita a internet. Juntos desde 2013 - com direito a idas e vindas - o casal deu fim à relação em outubro de 2018. No Rio 2016, a atriz da Globo e o craque do PSG estavam afastados. Contudo, para delírio de fãs do relacionamento 'Brumar', após conquista de ouro inédito da Seleção Brasileira na Olimpíada, Neymar comemorou encontrando sua ex. O craque deixou o gramado e subiu na arquibancada para abraçar Bruna Marquezine no meio da torcida.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

PROVOCAÇÕES

Em oito de julho de 2014, no Mineirão, a Seleção Brasileira levava sete gols da Alemanha. É a pior derrota da história do Brasil. E claro, as provocações alemãs ecoarão por bastante tempo. Na Olimpíada de 2016 não foi diferente. Após o apito final terminou com o ouro olímpico brasileiro, o defensor alemão Robert Bauer fez alusão ao 7 a 1 para provocar torcedores. Até mesmo ordem dos jogadores durante o hino virou motivo de zoeira. Relembre os memes envolvendo a rivalidade entre Brasil e Alemanha.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos