Retrospectiva LANCE!: Arão é unânime, meia falha e Arrascaeta segue como cérebro do Flamengo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


De Gerson a Andreas Pereira, com Willian Arão unânime, seja na zaga ou no meio, Diego Ribas oscilando entre os 11, como Everton Ribeiro, e Arrascaeta ainda sendo o cérebro do time. O ano de 2021 dos principais meio-campistas do Flamengo foi de poucas rotações, mas de uma venda relevante e de uma falha crucial de um volante que vinha sendo o xodó da torcida. Confira, abaixo, a retrospectiva da temporada dos atacantes do Fla!

> Retrospectiva 2021: relembre o ano do Flamengo em 12 fotos

Com Rogério Ceni, Diego e Gerson eram os volantes titulares, enquanto Everton Ribeiro e Arrascaeta eram os municiadores do ataque. Em junho, já na temporada atual, o Coringa foi negociado com o Olympique de Marseille-FRA e deixou uma lacuna técnica no setor. Andreas Pereira foi contratado por empréstimo, junto ao Manchester United, e passou a fazer uma dupla de respeito com Arão. Diego perdeu o posto com a chegada de Renato Gaúcho.

Quem mais atuou no setor foi o regular Willian Arão, com 55 jogos na temporada. E, por falar em contratação, Kenedy foi outro atleta cedido por um clube inglês (Chelsea), chegando, a princípio, para brigar diretamente com Everton Ribeiro. O camisa 7, mesmo sem ser brilhante (com apenas dois gols e nove assistências) e com convocações à Seleção Brasileira, não foi ameaçado por um inconstante Kenedy.

Gerson e Everton Ribeiro
Gerson e Everton Ribeiro

Gerson foi embora no meio do ano, enquanto Everton segue como capitão do Flamengo (Foto: Reprodução)

Já o outro articulador, Arrascaeta, que sofreu com questões físicas na reta final da temporada, só jogou em 35 jogos. Mas acumulou ótimos números, sendo decisivo nos títulos do Carioca e Supercopa do Brasil: nove gols e 14 assistências. Na aguardada final da Libertadores, o uruguaio chegou sem estar 100% das condições físicas e não desempenhou como Portaluppi esperava (e precisava).

E não tem como não citar Andreas quando o assunto é a tal decisão continental. O meio-campista nascido na Bélgica comprometeu diretamente no gol do título do Palmeiras. Para 2022, já avisou que quer estender o vínculo no Flamengo e ser importante em possíveis outros títulos, como redenção.

Por fim, cabe citar João Gomes, Thiago Maia e Piris da Motta, outros representantes do setor. O primeiro perdeu espaço depois que Ceni saiu (o jovem era uma espécie de 12º jogador). Thiago Maia foi outro que, depois de voltar de grave lesão, no fim de junho, não teve tantas chances para brigar com mais afinco pela titularidade. E o paraguaio, por sua vez, foi apenas um mero coadjuvante no plantel desde que retornou de empréstimo.

Confira os números dos meio-campistas do Flamengo na temporada de 2021*:

WILLIAN ARÃO
55 jogos (35V/10E/10D) - 4 gols e 1 assistência

ANDREAS PEREIRA
24 jogos (14V/5E/5D) - 5 gols e 1 assistência

GERSON
16 jogos (10V/4E/2D) - 1 gol e 3 assistências

DIEGO RIBAS
42 jogos (26V/10E/6D) - 1 gol e 4 assistências

THIAGO MAIA
31 jogos (19V/7E/1D) - 2 gols

JOÃO GOMES
44 jogos (25V/12E/7D) - 2 gols e 2 assistências

EVERTON RIBEIRO
50 jogos (33V/10E/7D) - 2 gols e 9 assistências

ARRASCAETA
35 jogos (26V/6E/3D) - 9 gols e 14 assistências

KENEDY
17 jogos (7V/6E/4D) - 1 gol e 1 assistência

*Números não contam a reta final da temporada de 2020, que foi finalizada em fevereiro de 2021 por conta das mudanças no calendário devido à Covid-19.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos