Retorno de Nino acirra ainda mais a disputa por vaga na zaga tricolor

Joel Silva
LANCE!
Nino é só felicidade após ajudar o Brasil a carimbar vaga nas Olimpíadas de Tóquio (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)
Nino é só felicidade após ajudar o Brasil a carimbar vaga nas Olimpíadas de Tóquio (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)


Pela primeira vez na temporada o técnico Odair Hellmann teve à disposição o zagueiro Nino, que se reapresentou ao Fluminense na última sexta-feira, após disputar o Pré-Olímpico com a Seleção Brasileira. Com a Amarelinha, além de conquistar o objetivo de levar o time até as Olimpíadas de Tóquio, o jogador foi titular absoluto, ficando de fora em apenas dois compromissos. Foi poupado diante do Paraguai e diante da Argentina, jogo que carimbou o passaporte brasileiro, estava suspenso.

Inscrito na Copa Sul-Americana, Nino vai poder estar em campo nesta terça-feira, contra o Unión La Calera, no Chile, pelo segundo jogo do confronto. Caso jogue, fará a sua primeira partida com a camisa tricolor na temporada. No entanto, o reforço caseiro não tem vaga garantida entre os titulares, já que Digão e Luccas Claro devem ser mantidos na equipe e estão agradando a comissão técnica.

A defesa é o setor que dava menos dor de cabeça para Odair Hellmann. Agora tendo quatro opções para formar a dupla de zaga, com Nino, Luccas Claro, Digão e Matheus Ferraz, a briga vai ficar ainda mais acirrada, podendo gerar dúvidas para Odair Hellmann. Em tese, Nino e Digão, que terminaram a temporada passada como titulares, seriam os donos da posição.

TABELA
Confira a classificação da Copa Sul-Americana



O primeiro chegou ao clube para compor elenco, mas se destacou tanto que o Fluminense excerceu a opção de compra junto ao Criciúma, pagando R$ 5 milhões por 60% dos direitos econômicos. Agora está ainca mais valorizado por conta da convocação. Já Digão, além de ser cria de Xerém e capitão, é também o jogador do elenco que mais defendeu o Tricolor, com 165 partidas disputadas.

Matheus Ferraz ainda busca ritmo de jogo e um melhor condicionamento físico. O zagueiro ficou um longo período de inatividade devido a grave lesão no joelho direito sofrida em junho do ano passado. Do quarteto é o mais experiente com 35 anos e conta com a confiança de grande parte da torcida tricolor. Já Luccas Claro aproveitou muito bem as oportunidades e de última opção, passou a ser titular e artilheiro, com três gols marcados. O jogador enalteceu a disputa por posição e ressaltou que quem ganha é Fluminense.

- Muito boa. Vou usar as mesmas palavras de quando cheguei no Fluminense. São os mesmos jogadores. Hoje, já mais confiante e reconhecido, principalmente pela torcida, mostrando que eu posso ajudar também, assim como o Nino, Ferraz e Digão, que vem contribuindo há algum tempo. Quem tem a ganhar é o Fluminense. Fico muito feliz com a volta dele (Nino), feliz por ele ter conquistado o objetivo junto à Seleção. Então quem ganha e fica mais forte é o Fluminense.

FORA DE COMBATE


A briga por posição na zaga tricolor poderia ser ainda mais acirrada, mas Frazan rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito. O zagueiro passou por uma cirurgia na última segunda-feira e já iniciou o tratamento com sessões de fisioterapia no clube. O departamento médico não deu previsão de retorno, mas estima-se que o jogador fique de seis à oito meses fora dos gramados. A lesão aconteceu no dia 13 de janeiro em um treino no CT Carlos Castilho.














Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também