Com retorno de arqueiro, Mano deixa aberta a vaga no gol do Cruzeiro

Fábio está de volta. Os questionamentos que perturbavam Mano Menezes há algum tempo – e que o treinador sempre ganhava tempo evitando alguma resposta concreta – agora faz todo sentido. Qual goleiro usar?

Fábio é o jogador que mais vestiu a camisa do Cruzeiro, mais de 700 vezes. O arqueiro é considerado um dos melhores da posição no Brasil, tecnicamente importante e motivo de questionamentos pela falta de convocações para a Seleção Brasileira.

O jovem Rafael, no entanto, conquistou seu espaço. Ele assumiu a posição quando o Cruzeiro vivia grande instabilidade, em 2016, com riscos de queda para a segunda divisão. O camisa 12 trabalhou e garantiu seu espaço.

Agora, Mano Menezes deixa aberta a vaga no gol celeste. “A partir de agora se estabelece questão técnica. Vão se colocar para análise técnica do treinador.  A partir dali tomamos as decisões que teremos de tomar, respeitando todos de forma coerente. É o rendimento. Só é possível ver o rendimento quando o atleta volta a jogar. Agora que se estabelece isso. Teremos os dois jogando”, destacou.

Mano, entretanto, exaltou as qualidades de um de seus goleiros. Para ele, Rafael conquistou seu espaço sendo um grande goleiro tecnicamente.

“Quem colocou essa questão nesse nível foi Rafael, com seus méritos. Ele entrou no momento difícil com a lesão do Fábio no jogo contra o Coritiba. O momento que a gente vivia, a pressão pelas últimas colocações… ele entrou no time, e a trajetória, mesmo que curta nesse período, deu a ele essa boa condição na avaliação de todos. Isso não pode ser um fato ruim. É coisa boa. Seria preocupante se ele tivesse entrado sem resolver o problema”, finalizou.