Palmeiras perde na Bolívia e deixa definição de vaga para última rodada

Cochabamba (Bolívia), 3 mai (EFE).- O Palmeiras teve a chance de se garantir nas oitavas de final da Taça Libertadores nesta quarta-feira, mas perdeu para o Jorge Wilstermann por 3 a 2 no estádio Félix Capriles, em Cochabamba, na Bolívia, e ainda precisará conquistar um ponto na última rodada da fase de grupos.

Assim como aconteceu contra o Peñarol, na semana passada, o atual campeão brasileiro saiu em desvantagem de 2 a 0, graças aos gols de Morales e Machado. Mas, ao contrário do que aconteceu no Uruguai, desta vez a virada não aconteceu. Guerra até diminuiu, mas Cardozo marcou o terceiro dos donos da casa. Cabezas, contra, ainda descontou para o time visitante, mas a reação não se consolidou.

Dessa forma, o Aliverde lidera o grupo 5, com dez pontos, mas precisará ao menos empatar com o Atlético Tucumán, terceiro colocado, com sete. O duelo acontecerá no Allianz Parque, no próximo dia 24. Já o Wilstermann continua em segundo lugar, com nove, e visitará o já eliminado Peñarol no mesmo dia.

Uma das principais novidades no Palmeiras foi a inclusão de Thiago Santos no lugar de Felipe Melo, que foi punido pela Conmebol por três partidas de suspensão por causa da briga ocorrida após a vitória sobre o Peñarol por 3 a 2 em Montevidéu.

Além disso, o atacante e capitão Dudu voltou após ter cumprido a automática por ter visto o vermelho diante dos 'Carboneros' ainda em São Paulo, pela terceira rodada. Também na linha de frente, Willian ganhou a posição de Borja, mas não foi bem e atuou apenas nos primeiros 45 minutos.

A grande ausência do time da casa foi o atacante Olego, suspenso por três partidas após a expulsão contra o próprio Palmeiras no primeiro jogo, no Allianz Parque, disputado em março. O zagueiro Alex Silva, ex-jogador de São Paulo, Flamengo e Cruzeiro, entre outros, também foi titular.

O jogo começou com um susto para a defesa alviverde, que cochilou e permitiu que Ríos cabeceasse livre, logo com um minuto do primeiro tempo. Para a sorte dos visitantes, o arremate não foi bem executado, e a bola saiu.

O campeão da América em 1999 balançou a rede ainda aos nove minutos, mas o lance foi corretamente invalidado. Thiago Santos desviou de cabeça e Róger Guedes emendou um voleio, mas foi marcado impedimento do volante na preparação. Logo depois, Guerra percebeu o goleiro adiantado e arriscou de muito longe, mas errou o alvo.

Diante de uma marcação forte, o Palmeiras até tinha mais a bola, mas tinha dificuldade para infiltrar e criar. Dudu tentou resolver sozinho aos 15, quando cortou e chutou da entrada da área, mas carimbou a defesa.

Dudu não conseguia se entender com Willian, que pouco aparecia. Aos 30 minutos, o capitão procurou o centroavante no miolo, mas errou o passe.

Os erros continuavam acontecendo, e um deles, na defesa, acabou sendo fatal. Aos 35, depois de levantamento da direita, Morales se colocou entre Jean e Vitor Hugo e cabeceou tirando de Fernando Prass para fazer 1 a 0.

A situação dos visitantes piorou aos 40, quando Machado marcou o segundo. O volante levou a melhor no pé de ferro com Guerra, avançou e acertou o ângulo com uma bonita conclusão de fora da área.

O próprio Guerra diminuiu o prejuízo ainda antes do intervalo, aos 45 minutos. Dudu cobrou falta, Alex Silva não conseguiu afastar definitivamente, e, da entrada da pequena área, o meia venezuelano bateu para o fundo da rede.

Eduardo Baptista realizou uma troca de centroavantes no intervalo, com Borja em lugar de Willian. O colombiano apareceu aos dez minutos, em lançamento de Róger Guedes, e tentou por cobertura, mas exagerou na força e mandou em tiro de meta.

Keno também entrou, mas o Palmeiras não conseguia pressionar e ainda sofreu o terceiro, aos 21 minutos. Prass cometeu pênalti em Saucedo, Cardozo bateu com força no meio do gol e não deu chances ao goleiro.

Mesmo sem jogar bem, o atual campeão brasileiro diminuiu aos 27, em falha individual no adversário. Keno levantou, Cabezas cabeceou "com gosto" contra a própria meta e marcou contra, recolocando o time paulista no confronto.

Porém, quem esperou uma pressão do eneacampeão nacional na parte final do duelo ficou frustrado. O Alviverde continuou mal e ainda corria riscos na defesa. Aos 34, Jean bobeou, Cardozo tocou para o meio e Michel Bastos, escalado como lateral-esquerdo, tirou para longe.

O time paulista ainda voltou a balançar a rede, aos 46 minutos, mas o colombiano Wilson Lamouroux anulou o gol. Michel Bastos levantou e Vitor Hugo marcou de cabeça, mas desta vez foi marcado impedimento do meia na hora de alçar na área.


Ficha técnica:.

Jorge Wilstermann: Olivares; Aponte, Zenteno, Alex Silva e Omar Morales; Machado e Saucedo (Díaz); Cardozo; Bergese (Cabezas) e Chávez (Ortiz); Ríos. Técnico: Roberto Mosquera.

Palmeiras: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Michel Bastos; Thiago Santos (Keno), Tchê Tchê e Guerra; Dudu (Raphael Veiga), Róger Guedes e Willian (Borja). Técnico: Eduardo Baptista.

Árbitro: Wilson Lamouroux (Colômbia), auxiliado pelos compatriotas Wilmar Navarro e John Alexander León.

Cartões amarelos: Aponte, Morales, Ríos e Ortiz (Jorge Wilstermann).

Gols: Morales, Machado e Cardozo (Jorge Wilstermann); Guerra e Cabezas (contra) (Palmeiras).

Estádio: Félix Capriles, em Cochabamba (Bolívia). EFE