Respeito ao melhor do Brasileirão! Abel Braga, a seu estilo, ainda tem espaço em times de Série A

Fabio Utz
·2 minuto de leitura

Fala aqui alguém que nunca foi fã de Abel Braga como treinador. Porém, a razão e o bom senso me fazem vir a este espaço para dizer que o treinador que acaba de levar o Internacional ao vice-campeonato nacional merece o respeito de todos. E, sim, seu repertório está longe de se esgotar.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Abelão, escolhido com justiça o melhor de sua função no último Brasileirão, tem um estilo próprio. Não é um adepto de grandes táticas, de revoluções, de inovações. Mas, a seu modo, ainda consegue construir trabalhos com maestria. Ele é um profissional que domina vestiário como poucos e sabe valorizar, ao máximo, o grupo de trabalho que tem à disposição. Peca, por vezes, em não enxergar o jogo da maneira mais correta, mas compensa essa falta de tato com motivação e cuidado para não expor quem, de fato, tem condições de ganhar uma partida por ele.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Fiz este preâmbulo para dizer que vejo nele um treinador ainda motivado, ainda com sangue nos olhos, ainda capaz de, dentro das suas características, ir atrás de resultados como aquele que recém obteve junto ao Colorado. Eu, repito, prefiro um futebol mais bem jogado, prefiro ver em campo um time que busca seus objetivos de forma organizada, pensada. Só que nada impede, dentro desse esporte, de estilos diferentes alcançarem objetivos iguais. Se um time da Série A vier a apostar em Abel, não estará dando um tiro no escuro, não estará olhando para o passado, não estará querendo dar satisfação à torcida. Desde que, claro, tenha em mente que não terá nele um visionário, um estudioso ou um "modernista" de plantão.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.