Respaldado por Roger, Gabriel Teixeira se destaca entre os reservas e ressalta concorrência na ponta

LANCE!
·4 minuto de leitura


Por mais que Fluminense e Portuguesa-RJ tenham empatado no primeiro duelo da semifinal do Carioca, a partida serviu para Roger Machado, técnico do Tricolor, testar novamente sua equipe alternativa. Isso porque, com os titulares poupados visando o próximo confronto da Libertadores, contra o Junior Barranquilla (COL), na próxima quinta-feira, os reservas tiveram a oportunidade de mostrar serviço pelo Estadual. Assim, 'Biel' - como é apelidado pelo elenco -, se destacou mais uma vez, ganhou moral do comandante e foi um ponto fora da curva em um Fluminense que até conseguiu criar, mas pecou nas conclusões.

> Veja as datas dos próximos jogos das semifinais do Carioca

Campeonato diferente, com time diferente, mas a mesma temática: quem se destaca no Fluminense é, mais uma vez, um cria de Xerém. Se no time titular Kayky é uma das principais armas junto ao ídolo Fred, na equipe considerada alternativa, Gabriel Teixeira vem a tempos pedindo passagem para subir um degrau, e poder estar no Tricolor desde o início das partidas.

E contra a Portuguesa-RJ, como de costume, 'Biel' se sobressaiu. Entretanto, a narrativa que envolve o jovem ao duelo não pode ser contada única e exclusivamente pela análise individual do atleta, uma vez que a proposta do Flu contribuiu para Gabriel se destacar mais ainda. Isso porque, somente com Egídio e Marcos Felipe de titulares, o Tricolor sentiu, principalmente a ausência de um meio campo mais rápido, já que Hudson, Wellington e Ganso não possuem tais premissas citadas.

Vale ressaltar que o "peso" na armação, continuou igual mesmo depois que Martinelli entrou no lugar do lesionado Hudson. Assim, a equipe de Roger rodava a bola, mas quase nunca de forma vertical, obrigando que as jogadas ofensivas saíssem ou de erros do adversário, ou de bola parada - como foi originado o pênalti do Flu -, ou então nos contra-ataques. É aí, portanto, que entra Gabriel Teixeira. Com muita disposição, o jovem correu o campo inteiro, seja para marcar a subida dos laterais, ou para tentar jogadas de perigo na frente.

Logo, os dois melhores lances do Flu na primeira etapa passaram por seus pés, e ambos foram desperdiçados por Abel Hernández. Nesse sentido, o que se via em campo era um time que criava com previsibilidade, quando Gabriel não participava, e uma equipe que aumentava o ritmo, engatava a quinta marcha e ia para o 'abafa', quando incentivado pelo garoto.

- Eu acho que é pouco avaliar a atuação do Biel só como boa hoje. Ele teve uma excepcional atuação, com as virtudes que ele tem de beirada, de vitória pessoal e finalização. No finalzinho eu coloquei ele por trás do centroavante, por estar mais cansado, mas ele continuou com fôlego - disse Roger em coletiva, ao ser perguntado sobre a atuação do atacante.

Com tais 'virtudes de beirada' Gabriel Teixeira esbanjou personalidade. Diferente de outros confrontos, em que usufrui mais de jogadas em mano a mano, por pedido do treinador, o atacante buscou tabelas curtas, aproximações e arranques em velocidade para ganhar campo ofensivo.

+ Relembre os gols mais marcantes de Fred pelo Fluminense

- A opção por ele foi justamente para a gente ter de um lado essa vitória pessoal, e do outro um meia ponta que foi o Cazares, para que, quando em posse, pudesse se juntar ao Ganso e a gente ter mais jogadores com trato na bola na região mais congestionada do campo - completou o técnico.

É claro que ainda existem pontos a serem concertados. Entre as qualidades mais inibidas, Gabriel ainda não encontrou o calibre certo para as finalizações, apesar de ter feito um golaço contra o Madureira.

No entanto, sua disposição para entrosar facilmente com os centroavantes é algo a se valorizar. Em um dos seus primeiros jogos pelo profissional, Gabriel conseguiu municiar o então falso 9 Ganso, na vitória por 1 a 0 em cima do Bangu. Contra a Lusa, como já dito acima, o jovem fez a bola chegar a Abel Hernández. Com isso, a expectativa aumenta para mais minutos do atacante junto a Fred, na equipe titular.

A partida decisiva entre Fluminense e Portuguesa-RJ, por um lugar na decisão do Estadual, será no próximo domingo, dia 9, às 16h, no Maracanã. Antes, porém, o Tricolor vai à Colômbia enfrentar o Junior Barranquila, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores, na quinta-feira.