Resgate do Soldado Son: as aventuras do sul-coreano do Tottenham no exército

Goal.com

Enquanto os clubes ingleses tentam retomar suas atividades normais, Heung-Min Son está trabalhando pesado em um uniforme bem diferente do que está acostumado. Dessa vez, o branco e o azul do Tottenham foram substituídos pelo verde camuflado do exército. E foi assim que o sul-coreano foi flagrado, usando seu novo número 136 no capacete e com um rifle pendurado no ombro. 

Son está alistado na Nona Brigada do Corpo de Fuzileiros Navais de seu país, empregado nas forças marinhas da ilha de Jeju. O atacante deixou a bola e as chuteiras de lado para trabalhar com armas químicas, radiológicas e nucleares, além de se expor a testes com gás lacrimogêneo, manobras com munição real e longas caminhadas em seu treinamento ainda no nível básico.

Son conseguiu uma permissão especial do governo para não prestar o serviço militar completo, após a conquista da medalha de ouro com a seleção da Coreia do Sul nas Olimpíadas da Ásia de 2018. No entanto, mesmo com esse privilégio, agora precisa concluir várias semanas de serviço no Corpo de Fuzileiros Navais, trabalho que pôde ser adiantado por conta da paralisação da Premier League por conta da pandemia do novo coronavírus. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
Son Heung-min army
Son Heung-min army
Son usando seu novo uniforme com o número 136 no capacete / Foto: The Sun

Por ser um jogador de futebol profissional, o atacante do Tottenham não precisa cumprir o serviço militar tradicional de seu país, que dura cerca de dois anos no total. Ao longo do período de serviço obrigatório, que dura entre 21 e 24 meses, o militar não pode ter nenhum tipo de contato com o exterior. 

Para sair do isolamento imposto pelo exército, é necessária uma autorização que deve ser solicitada com pelo menos seis meses de antecedência. O uso de redes sociais e smartphones também não é permitido. Desobedecer às ordens do serviço militar é considerada uma das maiores traições na Coreia do Sul e implica em um ano de prisão.

Son deve permanecer em seu país até o dia 8 de maio, quando poderá retornar ao Reino Unido para continuar seus serviços pelo Spurs sob o comando de José Mourinho. 

Mas mesmo após concluir seu treinamento e se formar no exército sul-coreano, Son ainda não estará totalmente livre do isolamento. Isso porque quando chegar na Inglaterra, terá que passar pelo período obrigatório de quarentena por mais 15 dias.

Leia também