Representantes do Vasco se reúnem com Leonardo Gaciba e têm acesso às imagens e ao áudio do gol do Inter

LANCE!
·3 minuto de leitura


Representantes do Vasco se reuniram com Leonardo Gaciba, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, para discutir sobre o polêmico lance do primeiro gol do Internacional. O vice-presidente de futebol, Carlos Roberto Osório, e o CEO, Luiz Mello, foram à entidade e tiveram acesso às imagens e ao áudio do momento em que uma pane no VAR dificultou a análise das linhas de impedimento e a decisão do árbitro de campo foi validada.

> Confira e simule a classificação do Campeonato Brasileiro


De acordo com o vídeo apresentado pela comissão, o sistema da linha de impedimento perdeu a referência do campo, pois as linhas do gramado e da sombra foram confundidas, o que impossibilitou a checagem do lance pelo árbitro de vídeo. Rodrigo Dourado marcou de cabeça, e coube ao árbitro Flávio Rodrigues analisar e tomar sua decisão. A informação foi inicialmente divulgada pelo blog do jornalista Rodrigo Mattos, do site "Uol"

Durante três minutos, os operadores do VAR tentaram traçar a linha de impedimento, porém não conseguiram fazer a verificação. Cabe salientar que o sistema considera como linha lateral a fronteira entre a sombra e o gol. Sem ter uma referência, os árbitros do VAR informaram a Flávio sobre a dificuldade e desistiram de checar o lance, pois o jogo precisava prosseguir. Para Gaciba, as imagens são "inconclusivas".

> Confira mais notícias sobre o Vasco da Gama

Com a decisão mantida, o gol foi validado, e o Internacional abriu o placar logo aos 9 minutos do primeiro tempo. O lance causou revolta por parte da direção do Vasco e do técnico Vanderlei Luxemburgo. Dois dias depois, o Gigante da Colina entrou com uma ação no STJD para tentar anular a partida alegando a pane no VAR como uma das causas.

A Comissão de Arbitragem admitiu que não foi a primeira vez em que o VAR apresentou essa falha. A descalibragem aconteceu em outras partidas, mas não afetou diretamente e não foi em um lance decisivo como no jogo do último domingo. Na reta final da competição, os donos da casa brigam para fugir da zona de rebaixamento, e os visitantes seguem na liderança tentando o título.

Dessa forma, o Vasco pretende utilizar os dois materias para anexá-los ao pedido de anulação da partida. É preciso destacar que até o momento o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) não se manifestou sobre o pedido do departamento jurídico do Vasco da Gama.

Enquanto isso, o elenco do Vasco viajou para São Paulo, onde disputará a partida decisiva no domingo,, contra o Corinthians, na Neo Química arena, `ss 16h, válida pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com 37 pontos, o time precisa vencer e torcer por um tropeço do Bahia diante do Fortaleza, no Castelão, para deixar o Z4.

Confira o pedido de anulação do Vasco, feito na última terça-feira

"Diante de todo o acima exposto, demonstrado o evidente erro de direito decorrente da não aplicação das Regras do Jogo, cumpre ao CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA reiterar o requerimento feito alhures, no sentido de que, na forma da previsão contida no 3º do artigo 84 do CBJD, seja procedida a intimação do Presidente da Confederação Brasileira de Futebol – CBF, para que se tome ciência do inteiro teor da presente e se abstenha de homologar o resultado da partida em questão até o trânsito e julgado desta demanda, pugnando pela procedência total da presente Impugnação de Partida, para que seja determinada a anulação da partida ocorrida no dia 14 de fevereiro do corrente (domingo) válida pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A de 2020, contra a equipe do SPORT CLUB INTERNACIONAL, na forma do inciso II do artigo 84 do CBJD c/c 1º Artigo 259 do CBJD, em razão da ocorrência de erro de direito na forma da fundamentação supra e, consequentemente seja determinada a remarcação da partida nos mesmos moldes da partida original, com o perfeito funcionamento do VAR, por ser medida inteira e salutar JUSTIÇA"