Renault anuncia sessão de testes na próxima semana no Red Bull Ring, palco da abertura da F1 em 2020

Jonathan Noble
motorsport.com

Após a Mercedes conduzir testes em Silverstone e Ferrari e Racing Point confirmarem que vão às pistas antes do início da temporada 2020 da Fórmula 1, agora é a vez da Renault anunciar que também terá uma sessão de treinos antes do GP da Áustria, que vai acontecer na próxima semana já no Red Bull Ring, palco do primeiro GP do ano.

Daniel Ricciardo e Esteban Ocon irão correr um dia cada nos testes, que acontecerá nos dias 16 e 17 de junho. Ricciardo vai correr na terça, enquanto Ocon comandará a ação na quarta.

Leia também:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

F1 ainda não descartou corridas classificatórias, que deve voltar ao debate em 2021F1 cancela GPs do Japão, Singapura e Azerbaijão e totaliza sete provas canceladas em 2020F1 decide misturar compostos de pneus para corridas em Silverstone

A Renault vai correr com o R.S.18, carro da temporada 2018, o que significa que a montadora francesa não terá restrições de quilometragem com o carro, já que não se encaixa nas restrições atuais de testes da F1.

Mais cedo nessa semana, a Mercedes foi a primeira equipe a retomar as atividades de pista, correndo dois dias em Silverstone, também com o modelo de 2018.

A escolha da Renault de correr no Red Bull Ring é interessante, já que dará à equipe e aos pilotos um conhecimento maior sobre as características da pista que receberá as duas primeiras etapas de 2020.

Porém, além dos claros benefícios de correr na Áustria, o Autosport / Motorsport.com apurou que a escolha pelo local do teste também foi baseada nas restrições de quarentena que limitaram as possibilidades.

Com a França e o Reino Unido forçando um período de quarentena de 14 dias para pessoas entrando nos países, a operação Anglo-francesa da Renault se viu incapaz de testar nas suas sedes.

Testes em Silverstone e Paul Ricard seriam escolhas mais óbvias, mas se mostraram impossível pelas restrições de transporte dos funcionários responsáveis pelo chassi ou pelo motor, que precisariam ficar em isolamento por quinze dias antes de qualquer atividade.

Com a Áustria tendo passado pela pior fase da pandemia do coronavírus, e sem nenhuma restrição em vigor no momento, o local se mostrou a escolha mais óbvia da equipe - especialmente com a primeira corrida sendo no local em 05 de julho.

Em um comunicado, a Renault agradeceu seus funcionários pelo trabalho durante esse período difícil para conseguir realizar os testes antes da primeira corrida.

"Um muito obrigado a todos os membros da equipe que se juntaram para encontrar soluções logísticas para dar aos nossos pilotos a melhor preparação possível para as duas primeiras corridas da temporada na Áustria", diz o comunicado.

Foi apurado que a restrição de quarentena do Reino Unido que impediu o departamento de motores da Renault de viajar para lá foi um fator determinante para a McLaren confirmar que não realizará testes com o carro de 2018.

VÍDEO: Engenheiro que trabalhou com Ricciardo e Sainz compara os pilotos

PODCAST: A liderança de Hamilton pode transformá-lo em uma influência maior que Senna fora da F1?

Your browser does not support the audio element.

Leia também